Gustavo Aleixo/ Cruzeiro EC
Gustavo Aleixo/ Cruzeiro EC

Em BH, Cruzeiro leva virada do CSA em jogo que terminou com protestos e confusão

Equipe mineira vê acesso cada vez mais distante e volta a se preocupar com queda; ainda teve provocação com 'Fala, Zezé'

Redação, Estadão Conteúdo

26 de setembro de 2021 | 18h49

Debaixo de protestos, tendo o principal alvo o presidente Sérgio Santos Rodrigues, o Cruzeiro perdeu o seu primeiro jogo sob o comando do técnico Vanderlei Luxemburgo. Neste domingo, o time mineiro levou a virada diante do CSA por 2 a 1, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 26.ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O Cruzeiro se mostrou com um psicológico muito abalado durante toda a partida, refletida na expulsão de Rafael Sóbis. A dificuldade de se aproximar do G4, combinada com o atraso salarial e o ótimo momento do seu rival Atlético-MG, explicam a situação delicada da equipe celeste, que ficou ainda mais evidente com os protestos dos torcedores.

O jogo ainda acabou em confusão. Adriano partiu para cima dos atletas do CSA, Giovanni chegou a ir até ao estacionamento do estádio e se mostrou muito irritado. Após trocas de socos de ambos os lados, a polícia usou gás de pimenta para dispersar as equipes.

O sonho de conquistar o acesso praticamente acabou com a derrota deste domingo. O time mineiro tem apenas 31 pontos, contra 44 do CRB, o quarto colocado. O CSA, que cravou a sua terceira vitória consecutiva, chegou aos 38, entrando de vez na briga.

O Cruzeiro ainda chegou ao sexto jogo sem vencer o CSA, com quatro vitórias para o time alagoano e dois empates. A última vitória do time mineiro no confronto aconteceu no dia 10 de abril de 2013, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Sem conseguir engrenar na Série B, o Cruzeiro começou o jogo da maneira que deveria: impôs seu ritmo para cima do CSA, não deixou o adversário jogar e abriu o placar aos 40 minutos. Matheus Pereira cruzou, Claudinho apareceu dentro da área e se esticou todo para colocar a bola no fundo das redes. O atleta cresceu com Vanderlei Luxemburgo e começou a ser decisivo, no meio de nomes como Rafael Sóbis e Marcelo Moreno.

No entanto, a aposta do treinador foi nos jovens. O Cruzeiro teve mais mobilidade com um ataque formado por Felipe Augusto, Thiago e Claudinho e poderia ter terminado o primeiro tempo com um placar ainda mais elástico. A ineficiência e a boa atuação de Thiago Rodrigues complicaram o time celeste.

O CSA praticamente não ameaçou Fábio, mas o time estava leve em campo, principalmente por ter vencido o Botafogo na rodada passada. Isso ficou evidente em uma jogada de Marco Túlio, que colocou a bola na cabeça e imitou o "foquinha" Kerlon. A torcida não gostou e vaiou o jogador.

Quem também foi muito criticado foi o técnico Mozart Santos, que teve uma passagem apagada pelo clube mineiro e esse também pode ter servido de motivo para inflamar o treinador e o próprio time do CSA, que voltou para o segundo tempo com outra postura e foi buscar a virada. Aos quatro minutos, Gabriel deu lançamento primoroso para Yuri. Ele dominou com categoria e tocou na saída de Fábio para deixar tudo igual.

O gol acabou com o Cruzeiro. O time se desestabilizou e virou presa fácil. Luxemburgo tentou reagir, colocou jogadores experientes no jogo, mas a tentativa só piorou. A prova disso é a expulsão de Rafael Sóbis, por reclamação. Antes disso, o time celeste já havia levado o segundo. Cristovam fez boa jogada e deu para Iury Castilho tirar de Fábio e fazer 2 a 1.

Na comemoração, Iury Castilho provocou o rival ao relembrar o áudio de Thiago Neves para Zezé Perrella, o 'Fala Zezé', enviado em 2019 quando as duas equipes ainda estavam na Série A e que falava do CSA como um adversário fácil de ser batido.

Uma possível reação do Cruzeiro acabou com a expulsão de Rafael Sóbis. O time mineiro se perdeu, enquanto que o CSA administrou a vantagem para confirmar os três pontos.


FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 1 x 2 CSA

CRUZEIRO - Fábio; Raul Cáceres, Ramon, Léo Santos e Matheus Pereira; Adriano (Giovanni), Lucas Ventura (Ariel Cabral) e Rômulo (Marco Antônio); Claudinho, Felipe Augusto (Vitor) e Thiago (Rafael Sóbis). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

CSA - Thiago Rodrigues; Cristovam, Matheus Felipe, Lucão e Kevyn (Éverton Silva); Geovane e Yuri (Silas); Marco Túlio (Reinaldo), Gabriel (Renato Cajá) e Iury Castilho (Giva Santos); Bruno Mota. Técnico: Mozart Santos.

GOLS - Claudinho, aos 40 minutos do primeiro tempo; Yuri, aos 4, e Iury Castilho, aos 18 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Ariel Cabral, Cáceres e Matheus Pereira (Cruzeiro); Cristovam (CSA).

CARTÃO VERMELHO - Rafael Sóbis (Cruzeiro).

ÁRBITRO - Flávio Rodrigues de Souza (SP).

RENDA E PÚBLICO - Jogo com portões fechados.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.