Erico Leonan| Divulgação
Erico Leonan| Divulgação

Em BH, pensamento do São Paulo é vencer para seguir vivo por vaga na Libertadores

Tricolor enfrenta o América-MG, fora de casa, nesta segunda-feira

Estadão Conteúdo

30 Outubro 2016 | 17h46

O São Paulo tenta nesta segunda-feira diante do América-MG, fora de casa, a sua terceira vitória seguida no Campeonato Brasileiro, algo inédito na temporada. Depois dos triunfos sobre Fluminense e Ponte Preta, a equipe abriu sete pontos de vantagem para a zona de rebaixamento e já começou a sonhar com uma vaga na Libertadores.

Atualmente, a distância para o último classificado, o Atlético Paranaense, é de nove pontos (52 a 41). "Estamos nos recuperando, talvez de forma tardia para Libertadores. Mas se a gente buscar 100% nos próximos três jogos, talvez", disse o técnico Ricardo Gomes, referindo-se também aos jogos contra Corinthians e Grêmio.

Para o zagueiro Maicon, a vaga na Libertadores não é impossível. Mas ele acredita que o São Paulo precisa afastar definitivamente a ameaça de rebaixamento antes de pensar em vaga na Libertadores. "Temos chance de buscar o G-6, não é impossível. Mas o nosso principal objetivo era sair da zona de desconforto, o que começamos a fazer. Mas é preciso continuar focado para que isso não volte a acontecer mais. Ainda precisamos de pontos para subir na tabela", afirmou o zagueiro em entrevista coletiva neste domingo no CT da Barra Funda.

Antes da viagem para Belo Horizonte, na manhã deste domingo, os jogadores do São Paulo receberam a visita de um grupo de crianças com síndrome de Down. Elas acompanharam o treinamento e tiraram fotos com os atletas.

LUIS FABIANO

O último treino no CCT da Barra Funda antes do Tricolor enfrentar o América-MG também marcou o reencontro com um velho conhecido. Sem clube após deixar o Tianjin Quanjian, recém-campeão da segunda divisão chinesa, Luis Fabiano aproveitou o tempo livre para visitar o centro de treinamento e matar a saudade de antigos companheiros.

A passagem do terceiro maior artilheiro da história do São Paulo, com 212 gols, pela Barra Funda, não significa necessariamente que ele vá retornar. Em entrevista ao canal Fox Sports, Marco Aurélio Cunha, diretor executivo do clube, afirmou que o jogador deve continuar no futebol chinês. "Eu não sei as intenções dele. Me parece que ele vai ser contratado por outra equipe chinesa, talvez de maior qualidade técnica. Ele fez uma excelente campanha, foi superprofissional lá, fez gols e subiu a equipe dele. As portas do São Paulo estão sempre abertas para quem honrou a camisa", disse o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.