Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Em busca de referência para ataque santista, Sampaoli pede calma com Uribe

Recém chegado ao clube da Baixada, atacante atuou na vitória sobre o Ceará neste domingo

Redação, Estadão Conteúdo

03 de junho de 2019 | 07h46

Em busca de uma referência para o ataque do Santos, o técnico Jorge Sampaoli já pôde contar com o atacante Uribe no domingo, na vitória sobre o Ceará por 1 a 0, na Arena Castelão, em Fortaleza. O gol do triunfo, contudo, foi marcado por Eduardo Sasha, que vem salvando a equipe nos últimos jogos.

Contratado na quinta-feira, Uribe teve atuação discreta. E Sampaoli tratou de amenizar as expectativas sobre o reforço, que assinou contrato com o Santos até junho de 2022 - ele veio do Flamengo, onde vinha ganhando poucas oportunidades.

"Ele vinha jogando pouco, vinha de lesão. Não foi a melhor versão do Uribe, foi muito generoso e jogou muito pelos outros. É muito importante isso", analisa Sampaoli, sem estender sua avaliação sobre a estreia do atacante.

O próprio Uribe foi surpreendido pela rápida chance na equipe, e logo como titular, ao lado também de Copete no setor ofensivo santista. "Não esperava jogar tão rápido, mas estava pronto se Sampaoli quisesse. Fico feliz pelo resultado, pelo trabalho do time e espero que continue assim", comentou.

A importância da chegada do reforço se deve à irregularidade dos atacantes do elenco santista nesta primeira metade do ano. Além disso, o clube está prestes a perder um dos seus principais jogadores. O atacante Rodrygo deve se apresentar no fim do mês ou no início de julho ao Real Madrid, com quem já estava negociado.

A contratação de Uribe deve esquentar a concorrência por uma vaga na equipe. A disputa deve se concentrar entre Sasha e Marinho, este outro reforço recém-chegado ao clube. "Eu falei com Sampaoli antes de chegar, já olhava que era um time que precisava de um centroavante. Vim procurando jogar mais, ter melhor sequência e ajudar o time", disse Uribe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.