Vítor Silva/Botafogo
Vítor Silva/Botafogo

Em busca de semifinal, Botafogo enfrenta reservas do Vasco no Engenhão

Sem pretensões, Abel Braga escala time alternativo para enfrentar rival, que se recuperou assim que passou a jogar o torneio com equipe principal

Redação, Estadão Conteúdo

02 de fevereiro de 2020 | 07h34

Botafogo e Vasco vão se enfrentar pela primeira vez em 2020 em situações contrastantes: enquanto os botafoguenses lutam para conquistar uma vaga nas semifinais da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, os vascaínos já desistiram desse objetivo e terão o time reserva no clássico deste domingo, às 16h, no Engenhão.

Depois de ter disputado com reservas as duas primeiras rodadas, com duas derrotas, o Botafogo se recuperou assim que passou a jogar o torneio estadual com sua equipe principal. Os triunfos sobre Macaé e Resende deixaram o clube alvinegro a um ponto da zona de classificação para a semifinal, e ele chegará lá em caso de vitória no clássico e tropeço de pelo menos um dos dois líderes do Grupo A, Flamengo e Boavista.

Na quinta-feira, o Botafogo sofreu demais para vencer o Resende por 2 a 1, de virada, no Engenhão. O time comandado por Alberto Valentim saiu atrás e só marcou o gol da vitória aos 48 minutos do segundo tempo. Choveu muito no Rio naquela noite e o jogo chegou a ser interrompido porque o gramado ficou encharcado. Apesar do enorme esforço físico feito contra o Resende, o treinador deverá repetir a escalação no clássico, já que a necessidade de vitória é grande.

No Vasco, o clima está pior do que o do Rio na quinta. A derrota por 1 a 0 para a Cabofriense, na manhã de sexta-feira, em São Januário, caiu como uma bomba no clube - os torcedores que foram ao estádio vaiaram a equipe e criticaram a diretoria. Por causa do tropeço, o técnico Abel Braga decidiu esquecer a Taça Guanabara e priorizar a Copa Sul-Americana, em que o time vai estrear na quarta-feira, em casa, contra o Oriente Petrolero, da Bolívia.

Neste domingo, Abel deverá escalar a equipe que disputou o primeiro clássico do Vasco no ano, contra o Flamengo, pela segunda rodada do torneio estadual. Naquela ocasião, os reservas cruzmaltinos enfrentaram uma equipe de jovens rubro-negros e foram derrotados por 1 a 0.

O treinador, que chegou ao clube para substituir Vanderlei Luxemburgo, admite que o Vasco não está jogando bem e que a torcida tem razão ao se irritar com o que tem visto em campo. "Aqui é Vasco, um time gigante. Tem pressão. Mas que fique claro que não faço parte de nenhuma ala política. Eu entendo a torcida e também estou chateado com o que estamos produzindo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.