Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Em busca do 6º título na temporada, Bayern de Munique encara o Al Ahly em estreia no Mundial

Bávaros querem repetir o feito do Barcelona de Pep Guardiola, que conseguiu as seis coroas em 2009

Redação, Estadão Conteúdo

08 de fevereiro de 2021 | 05h46

O Bayern de Munique não foi a passeio para o Mundial de Clubes. Isso é o que garantem os jogadores e comissão técnica do time bávaro. Eles prometem disputar uma competição forte, já que pretendem fazer da temporada 2000/21 a mais vencedora de sua história. Campeão de tudo, os alemães buscam erguer a sexta taça na temporada e prometem atacar o Al Ahly, do Egito, na semifinal desta segunda-feira, às 15 horas (de Brasília), no Al Rayyan Stadium.

Depois de ficar no "quase" em 2013, temporada na qual não foi perfeito pelo fato de cair na decisão da Supercopa da Alemanha, o Bayern quer repetir o feito do Barcelona de Pep Guardiola, que conseguiu as seis coroas em 2009. Campeão da Copa da Alemanha, do Campeonato Alemão, da Supercopa da Alemanha, da Liga dos Campeões da Europa e da Supercopa da Europa em 2020, os Bávaros querem fechar a temporada com chave de ouro, buscando o tetracampeonato mundial. Já ganhou em 1976, 2001 e 2013.

"Ganhamos tudo que poderíamos ter conquistado em 2020. Este é o último título que podemos ganhar. Sabemos que estamos jogando contra as melhores equipes dos continentes de todo o mundo. É nosso próximo desafio e estamos pronto para isso", afirmou o artilheiro Lewandowski, eleito o melhor do mundo, mas estreante em Mundiais.

"Se você está nesta competição, significa que é um time forte. Mas não importa o quão bom eles (Al Ahly) sejam, temos que ser melhores. Temos que lutar por essa vitória, pressionar desde o primeiro minuto, jogar nosso melhor futebol e ter a chance de vencer", disse o polonês.

Com exceção de Javi Martínez e Goretzka, se tratando da covid-19, e Nianzou e Nübel, machucados, o Bayern tem todos os jogadores disponíveis para a semifinal e não deve poupar suas principais estrelas contra os egípcios.

Mesmo tentando evitar a euforia, a confiança é grande entre os alemães para um belo desempenho no Catar. "Estamos muito felizes por termos a oportunidade de participar neste torneio e de ganhar este título. Primeiro temos de jogar as semifinais, que temos certeza de que vamos entrar como favoritos", afirmou Joshua Kimmich. "É uma grande chance de fazer história, estamos muito motivados quando se trata das semifinais e veremos o que vem a seguir."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.