Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Em busca do tetra, Corinthians tenta igualar feito centenário do Paulistano

Clube da capital paulista que atualmente nem tem mais um time profissional de futebol é o único a conseguir o feito de vencer quatro troféus consecutivos

João Prata, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2020 | 04h30

Depois de em 2019 quebrar um jejum de 80 anos e conquistar pela terceira vez consecutiva o Campeonato Paulista, o Corinthians agora vai em busca do tetra, um feito que nenhum clube consegue há cem anos. O único time a emendar uma sequência de títulos como essa foi o Paulistano, que faturou as taças de 1916, 1917, 1918 e 1919.

O clube situado nos Jardins e que atualmente nem tem mais um time profissional de futebol dominou o Paulistão nas primeiras décadas do século passado. Foram 11 títulos estaduais conquistados entre 1905 e 1929. O feito inédito poderia ser maior, mas o penta em 1920 escapou com uma derrota para o Palestra Itália, hoje Palmeiras na decisão.

Para manter a hegemonia no Estado, o Corinthians se reformulou para a nova temporada. Por causa de uma queda brusca de rendimento no segundo semestre do ano passado, o clube demitiu o técnico Fábio Carille e trouxe Tiago Nunes. Também saíram o volante Junior Urso e o atacante Clayson, titulares na temporada passada. O novo treinador dispensou ainda dois veteranos vitoriosos, o volante Ralf e o meia Jadson.

Para compensar as perdas, o Corinthians contratou quatro nomes: o lateral-esquerdo Sidcley, o volante Cantillo e os atacantes Luan e Davó. Também dará nova chance a Danilo Avelar, que deixará de atuar como lateral-esquerdo para jogar na zaga. A lista de reforços não está fechada e a diretoria está de olho no mercado para trazer pelo menos mais um atacante que atue pelas beiradas do campo. O dinheiro para as contratações têm vindo de empréstimos do banco BMG, o patrocinador master do clube.

Em sua apresentação no início do ano, Tiago Nunes prometeu um Corinthians mais ofensivo na temporada. Em 2019, o clube teve média de 1,10 gol por jogo no Campeonato Brasileiro - marcou somente 42 vezes em 38 partidas.

"Durante minha trajetória, experimentei diversos modelos de jogo. Me formei como treinador tendo a oportunidade de vivenciar quase todas as ideias. Mas o que mais me agrada é ter mais a bola, ser propositivo, que privilegia a condição técnica, até mais vistoso de ver. Mas sou ciente de que esse modelo só se desenvolve com o passar dos treinamentos, aí você vai vendo se encaixa com os jogadores, os adversários. A minha ideia é fazer a equipe propositiva, mas não impede no decorrer da temporada encontrar uma outra ideia que vai nos levar à vitória de uma maneira mais fácil", explicou o treinador.

Time base do Corinthians

Cássio; Fagner, Gil, Pedro Henrique e Sidcley; Camacho, Cantillo e Luan; Pedrinho, Boselli e Janderson. Técnico: Tiago Nunes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.