Em Campinas, Guarani e Boa empatam por 1 a 1 na primeira final da Série C

Equipes fazem o jogo de volta em Varginha (MG)

Estadão Conteúdo

29 Outubro 2016 | 21h26

A decisão ficou para Varginha (MG). Mesmo contando com o apoio de quase 17 mil pessoas neste sábado, o Guarani não conseguiu fazer o dever de casa e ficou no empate com o Boa por 1 a 1, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP). O confronto foi válido pelo primeiro jogo da final do Campeonato Brasileiro da Série C - a terceira divisão nacional.

Os dois gols saíram no segundo tempo. O zagueiro Leandro Amaro, de cabeça, abriu o placar para o Guarani e o atacante Rodolfo, em um lance de sorte, deixou tudo igual. Os dois times voltam a se enfrentar no próximo sábado, a partir das 18h45, no estádio Dilzon Melo, no sul de Minas Gerais, e os mineiros têm a vantagem do empate sem gols. Já os campineiros precisam vencer ou empatar com mais de dois gols. Um novo 1 a 1 levará a disputa para as cobranças de pênaltis.

Quem compareceu ao Brinco de Ouro viu um primeiro tempo bastante movimentado, com os dois times buscando o gol a todo momento e criando boas oportunidades. Apoiado pela torcida, o Guarani esboçou uma pressão nos minutos iniciais, mas aos poucos o Boa equilibrou as ações e levou perigo em cabeçada de Daniel Cruz, por cima do gol. A resposta campineira veio em falta cobrada por Fumagalli.

Na melhor oportunidade do primeiro tempo, Denis Neves fez boa jogada individual pela esquerda e soltou a bomba, mas a bola explodiu na trave e saiu pela linha de fundo. Aos 38 minutos, Rodolfo cobrou falta e quase surpreendeu Leandro Santos, que mandou para escanteio com as pontas dos dedos. O Guarani tentou pressionar nos minutos finais, mas a etapa terminou empatada sem gols.

O time paulista voltou mais ligado para o segundo tempo e criou três chances antes mesmo dos 10 minutos. Lenon e Régis arriscaram de longe para defesas de Daniel. Depois, o goleiro rebateu cruzamento e por muito pouco Fumagalli não completou. Na sequência, o camisa 10 cobrou falta e a bola passou raspando a trave.

De tanto pressionar, o time campineiro abriu o placar aos 16 minutos. Fumagalli cobrou escanteio e Leandro Amaro cabeceou para as redes. Os jogadores do Boa partiram para cima da arbitragem reclamando de falta em cima do goleiro Daniel. Os mineiros sentiram o golpe e viram o adversário perder uma grande chance através de Fumagalli.

Em um lance de sorte, o Boa igualou aos 29 minutos. Rodolfo chutou forte, a bola explodiu na trave e voltou nas costas de Leandro Santos, entrando no fundo das redes.

O Boa quase virou três minutos depois. Leonardo cruzou e Rodolfo por muito pouco não completou de carrinho. A partida ficou truncada, sem muitos lances de perigo. Evandro arriscou de fora da área e mandou para fora.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1 x 1 BOA

GUARANI - Leandro Santos; Lenon, Ferreira, Leandro Amaro e Denis Neves; Auremir, Alex Santana (Evandro), Régis Souza e Fumagalli; Pipico (Marcinho) e Eliandro (Éverton). Técnico: Marcelo Chamusca.

BOA - Daniel; Leonardo, Bruno Maia, Édson Borges e Romano; Escobar, Itaqui e Felipe Mateus (Tchô); Braian Samúdio (Léo Baiano), Daniel Cruz e Rodolfo (Kaio Cristian). Técnico: Ney da Matta.

GOLS - Leandro Amaro, aos 17, e Rodolfo, aos 29 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Ferreira e Alex Santana (Guarani).

ÁRBITRO - Caio Max Augusto Vieira (RN).

RENDA - R$ 495.200,00.

PÚBLICO - 16.749 pagantes.

LOCAL - Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.