Douglas Monteiro/Vila Nova
Douglas Monteiro/Vila Nova

Em Campinas, Guarani sofre gol de pênalti no final e cede empate ao Vila Nova

Time paulista vencia por 1 a 0 e esperava o apito final, quando o visitante teve penalidade a seu favor e deixou tudo igual aos 50 minutos

Estadão Conteúdo

09 Junho 2018 | 18h54

O Guarani deixou escapar a vitória sobre o Vila Nova, neste sábado, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP), ao sofrer um gol nos acréscimos pela 10.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O time paulista vencia por 1 a 0 e esperava o apito final, quando o visitante teve um pênalti a seu favor e deixou tudo igual aos 50 minutos.

+ Confira a tabela de classificação da Série B do Campeonato Brasileiro

+ Avaí supera o Coritiba e sobe para a terceira posição da Série B

+ Goiás vira sobre o Paysandu, mas ainda continua na zona de degola

O empate deixou o time paulista com 14 pontos, em posição intermediária na tabela de classificação, um atrás do Vila Nova, um pouco acima e que comemorou a quebra de um jejum. Seu ataque não marcava há cinco jogos nesta Série B.

O visitante começou o jogo com uma marcação adiantada e quase surpreendeu nos primeiros minutos. Aos quatro, em uma falta cobrada por Alan Mineiro e que Bruno Brígido espalmou por cima, e no minuto seguinte, quando Wesley Matos entrou sozinho nas costas da defesa e de carrinho mandou para fora.

O Guarani, surpreendido, demorou muito para ler o jogo e tentar escapar da marcação. E só ameaçou aos 41 minutos, quando Guilherme bateu cruzado e a bola tirou tinta da trave direita do goleiro Mateus Pasinato. Muito pouco para a torcida, que ensaiou vaias no intervalo pelo primeiro tempo sonolento.

Umberto Louzer, técnico da casa, percebeu que teria que mudar algo no intervalo. Tanto que voltou com uma mudança ofensiva: tirou o volante Denner para a entrada do meia Caíque. Aos oito minutos, Maguinho deu uma solada feia em cima de Rafael Longuine e o árbitro anotou lance perigoso, em cobrança em dois lances dentro da área - o Guarani queria pênalti. Na cobrança da falta, a bola parou na barreira.

A partir dos 15 minutos, o Guarani ganhou outro atacante com a entrada de Anselmo Ramon no lugar do meia Guilherme. A bola aérea passaria a ser a nova opção para chegar ao gol adversário. Cinco minutos depois, Rafael Longuine quase marcou de cabeça após levantamento de Ramon, mas Mateus Pasinato mandou a escanteio.

O Vila Nova passou a administrar o jogo, inclusive com a saída de Alan Mineiro para a entrada de Alex Henrique. Quase ganhou o gol de presente aos 25 minutos, em um recuo errado de Pará interceptado por Felipe Silva, que recuou para o chute de Mateus Anderson. O goleiro Bruno Brígido bloqueou o chute, de forma providencial. No minuto seguindo, Bruno Mendes desviou de cabeça o levantamento de Rafael Longuine e Wesley Matos salvou em cima da linha.

Parecia que só mesmo um lance diferente poderia tirar o zero do placar. Ele aconteceu aos 30 minutos, após levantamento de Lenon para a pequena área e a aliviada de cabeça de Wesley Matos. Mas a bola caiu no pé direito de Ricardinho, que bateu de primeira. Um golaço por cobertura.

Depois disso, o Vila Nova teve que arriscar tudo. Avançou toda a marcação e encurralou o time da casa na defesa. Aos 49 minutos, Caíque cometeu pênalti em cima de Juninho. No minuto seguinte, Alex Henrique bateu com categoria e deixou tudo igual.

Pela 11.ª rodada, o Guarani vai atuar de novo em casa na próxima quinta-feira, às 21 horas, contra o São Bento. Já o Vila Nova fará o clássico goiano contra o Atlético Goianiense, no próximo sábado, às 18h30.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1 x 1 VILA NOVA

GUARANI - Bruno Brígido; Lenon, Philipe Maia, Edson Silva e Pará; Baraka, Ricardinho, Denner (Caíque), Rafael Longuine (Willian Oliveira) e Guilherme (Anselmo Ramon); Bruno Mendes. Técnico: Umberto Louzer.

VILA NOVA - Mateus Pasinato; Maguinho, Wesley Matos, Diego Giaretta e Hélder; Wellington Reis (Ramon), Geovane, Alan Mineiro (Alex Henrique) e Mateus Anderson; Vinícius Leite (Juninho) e Felipe Silva. Técnico: Hemerson Maria.

GOLS - Ricardinho, aos 30, e Alex Henrique (pênalti), aos 50 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Ricardinho, Anselmo Ramon e Caíque (Guarani); Felipe Silva (Vila Nova).

ÁRBITRO - Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ).

RENDA - R$ 44.637,00.

PÚBLICO - 3.521 pagantes.

LOCAL - Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.