José Patrício/AE - 07/02/2012
José Patrício/AE - 07/02/2012

Em carta, Douglas critica Grêmio e nega ser mercenário

Meio-campista revela atraso de pagamentos quando estava na equipe gaúcha

AE, Agência Estado

08 de fevereiro de 2012 | 14h45

SÃO PAULO - Após acertar o seu retorno ao Corinthians, o meia Douglas resolveu se pronunciar publicamente, nesta quarta-feira, para manifestar a sua insatisfação com o Grêmio, último time defendido por ele. Por meio de uma carta aberta publicada em sua página no Twitter, ele revelou atraso no pagamento dos seus direitos de imagem, acusou um dirigente do clube gaúcho de jogá-lo contra a torcida gremista e se mostrou magoado pela forma como foi tratado durante este período final como jogador da equipe gaúcha.

A saída de Douglas do Olímpico foi conturbada e o atleta disse que as atitudes do diretor executivo de futebol do Grêmio, Paulo Pelaipe, acabaram decretando de vez a sua decisão de deixar o clube e voltar ao Corinthians, pelo qual foi campeão da Série B do Campeonato Brasileiro de 2008, da Copa do Brasil de 2009 e do Paulistão do mesmo ano.

"Galera, aguentei muita coisa calado e, agora que já assinei o meu contrato com o Corinthians, posso falar sobre a minha saída do Grêmio. Em primeiro lugar quero dizer que tenho enorme respeito pela torcida, tanto é que fiquei alguns meses sem receber minha imagem e nunca reclamei em público para não conturbar o ambiente, muito menos deixei de me empenhar dentro de campo", disse Douglas, no início de sua carta, na qual em seguida acrescentou: "O que ganhei em troca disso foram declarações do Pelaipe me diminuindo e incentivando a torcida contra mim. Foi justamente isso que me deixou sem ambiente no Grêmio e fez com que eu tomasse a decisão de mudar de clube".

Douglas ainda acusou o dirigente de forçar a sua saída do Grêmio, usando-o como moeda em uma possível negociação com o Palmeiras, para o qual o atleta teria sido oferecido. "O Pelaipe mandou outro empresário (que nada tem a ver comigo) me oferecer aos quatro cantos, depois queria pagar a dívida que o Grêmio tem com o Palmeiras me mandando pra lá. Isso faz o jogador se sentir valorizado? Tinha ambiente pra eu continuar?", questionou o meio-campista.

O atleta ainda revelou mágoa com o fato de ter sido chamado de mercenário dentro do Grêmio e garantiu que, no Corinthians, não receberá mais do que ganharia se continuasse atuando pelo clube gaúcho. "Pra muita gente que está falando besteira e me chamando de mercenário, é bom que saibam que vou jogar no Corinthians por um salário igual ou menor do que eu poderia ganhar aí (no Grêmio). Tudo pela falta de respeito que o Pelaipe teve comigo", completou.

Ao final da carta aberta ao público, Douglas lamentou o fato de seus empresários terem sido hostilizados por torcedores gremistas, o que classificou como "um absurdo", e enfatizou que essa foi "a primeira e última vez" que comentou sobre a sua saída do Grêmio. "Agora só falo do Timão", avisou.

Após deixar o Grêmio, o meia assinou um contrato de três anos com o Corinthians. Antes disso, o clube gaúcho tentou acertar, sem sucesso, a renovação do compromisso que tinha com o jogador. Em meio a este processo, Pelaipe chegou a dizer que Douglas treinaria em separado do elenco gremista enquanto não aceitasse a proposta de reforma contratual.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansGrêmioDouglas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.