Victor R. Caivano/AP
Victor R. Caivano/AP

Em carta, Victor Valdés cita adeus amargo e agradece Barcelona

Lesionado, goleiro não poderá se despedir da equipe em campo

AE, Agência Estado

14 de maio de 2014 | 13h13

BARCELONA - O Barcelona divulgou nesta quarta-feira uma carta de despedida do goleiro Victor Valdés, que utilizou o site oficial do clube para lamentar o fato de que deixará o time sem poder defendê-lo dentro de campo nestes dias finais de seu contrato com a equipe catalã. Por causa de grave lesão no joelho, o jogador também desfalcará a Espanha na Copa do Mundo de 2014.

Valdés deixará o Barça ao final desta temporada europeia, depois de 12 anos defendendo a equipe profissional. Bem antes de se lesionar, o atleta havia anunciado que buscaria um novo desafio em sua carreira e por isso optou por não renovar o seu contrato, mas ele esperava ao menos poder disputar um jogo de despedida com a camisa do clube.

"Por desgraça, não pude me despedir jogando futebol como eu gostaria, mas assim é a vida às vezes e neste ano foi cruel comigo neste sentido", afirmou Valdés, logo no início da carta publicada nesta quarta, na qual dedicou suas palavras a todas as pessoas que o ajudaram nesta sua longa caminhada como atleta do Barcelona.

Ele listou todos os treinadores com os quais trabalhou desde a sua formação nas categorias de base do clube. Entre eles, ressaltou o fato de que o holandês Louis Van Gaal promoveu o "o início da construção de um Barça histórico, do qual eu tive privilégio de fazer parte".

Em seguida, Valdés lembrou que outro treinador holandês, Frank Rijkaard, o deu a "confiança necessária" e "o permitir a alcançar a glória, tocando a Liga dos Campeões, em Paris, com minhas próprias mãos". "Esteja onde esteja, te repito, minha vida estará sempre em dívida contigo, mister", enfatizou.

Já ao falar de Pep Guardiola, Valdés exaltou a filosofia de jogo vencedora implementada pelo treinador, que fez história sob o comando do Barça. "Gracias, Pep, por me ter aberto a porta para jogar um jogo que desconhecia, por ter sido meu guia durante o caminho que se deve seguir buscando o êxito, e o encontramos juntos. A verdade? Sempre será o mister e, creio, será eterno!", completou.

Tito Vilanova, que foi o substituto imediato de Guardiola e morreu vítima de câncer no fim do mês passado, aos 45 anos de idade, também não foi esquecido por Valdés. "Esteja onde esteja, te agradeço por nos ter ensinado não só o caminho para seguir ganhando como time, mas também a força e o caráter necessários para enfrentar a vida", disse.

Por fim, Valdés agradeceu aos companheiros e ex-companheiros de time, amigos e familiares e aos torcedores pelo papel que desempenharam ao seu lado durante esta longa trajetória. "Obrigado a todos aqueles companheiros com os quais tive o prazer de dividir o trabalho que pede levar esse escudo no peito dia a dia, por ter feito eu me sentir importante dentro deste grupo que formamos durante todos estes anos. Porque tudo se reduz a isso, somos nós, aqui e agora. Obrigado, senhores! E não quero me esquecer das pessoas mais importantes para mim, destes 12 anos como profissional vestindo esta camisa, meus fiéis seguidores. Aquelas pessoas que, aconteça o que acontecer, estão ali sempre para me dar o alento que um lutador precisa em todo momento. Estavam ali, orgulhosos de me ver em cada comemoração, apoiando em cada jogo, enviando essa energia positiva que nunca deixei de notar, a que me levou à frente durante todo este tempo, porque sem isso eu não seria capaz de fazê-lo sozinho. Obrigado, obrigado e mil vezes obrigado. E os peço por favor que não deixeis de me apoiar", encerrou a carta.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolValdésFC Barcelona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.