Twitter/Santos
Twitter/Santos

Em casa alugada, Santos derrapa contra o Ceará e vê VAR 'roubar cena' no empate sem gols

Jogando em Barueri, o time paulista não consegue sair do 0 a 0 contra o vice-lanterna e lamenta atuação da arbitragem

Toni Assis, Especial para o Estadão

21 de maio de 2022 | 20h48

Imbatível nos últimos seis jogos realizados na Vila Belmiro, a diretoria do Santos resolveu mudar de casa para o confronto com o Ceará. A decisão acabou custando caro ao time do técnico Fabian Bustos, que ficou no 0 a 0 diante do Ceará neste sábado, em Barueri. O confronto teve ainda o VAR como destaque. O recurso acabou sendo decisivo em dois lances capitais da partida.

Primeiro ao anular o gol de Léo Baptistão. Depois, por indicar uma agressão fora do lance que culminou com a expulsão de Richard, do Ceará. O juiz acabou voltando atrás em sua decisão nas duas vezes em que foi chamado pelos árbitros de vídeo.

A equipe da Vila Belmiro, que vinha de derrota para o Goiás e agora acumula um tropeço diante do Ceará, tem 11 pontos na classificação, enquanto o Ceará segue na zona do rebaixamento, ocupando a vice-lanterna com cinco pontos. O Santos preferiu jogar em Barueri para ganhar mais dinheiro com bilheteria. Faturou R$ 1 milhão ao levar 25 mil torcedores ao estádio longe da Vila.

O Santos tem uma semana decisiva onde decide a sua classificação na Copa Sul-Americana. Nesta terça, o time recebe o Banfield, na Vila Belmiro, pelo Grupo C da competição. Líder da chave, a equipe paulista se classifica com uma vitória. O Ceará, que lidera o Grupo G do torneio continental, viaja até a Argentina onde encara o Independiente. Um empate garante a equipe cearense na sequência da competição.

Apostando em seu bom retrospecto como mandante, o técnico Fabián Bustos optou por uma escalação ofensiva, com quatro atacantes, muita imposição física e uma marcação alta.

Marcos Leonardo teve duas boas chances de abrir o placar. Atuando como referência no ataque, ele contou com a entrega de Léo Baptisão e Jhojan Julio, que tiveram a missão de ajudar na armação e também chegar com força na frente.

A exemplo da última partida contra o Flamengo, o Ceará teve em Mendoza uma grande arma nos contragolpes. Como o Santos adotou uma estratégia ofensiva, os espaços oferecidos em seu campo de defesa eram explorados pela equipe nordestina. O goleiro João Paulo precisou trabalhar pelo menos em duas oportunidades para não ser vazado na etapa inicial.

O Santos voltou ligado em alta voltagem em com menos de dez minutos perdeu duas chances muito boas dentro da área. O bom início inflamou a torcida que passou a jogar junto fazendo bastante pressão. E essa combinação de força das arquibancadas aliada à disposição dos atletas santistas teria dado certo não fosse a intervenção do VAR. Lucas Pires foi acionado pela esquerda e cruzou para Léo Baptistão completar para o gol e fazer 1 a 0. O VAR, no entanto, entrou em ação e solicitou que o juiz olhasse a origem da jogada observando um puxão de camisa envolvendo  Zé Roberto e Ângulo. Após consultar o vídeo, o árbitro Savio Pereira Sampaio voltou atrás em sua decisão e anulou o gol.

O segundo tempo reservou ainda outro lance capital que teve interferência do VAR, que indicou agressão de Richard em Jhojan Julio. Após rever o lance, o juiz expulsou o atleta do Ceará.

Mesmo com um homem a mais, o Santos não conseguiu levar vantagem. A partida ficou catimbada e os atletas dos dois times passaram a pressionar o juiz na maioria dos lances.  O árbitro chegou a dar nove minutos de acréscimo em função das seguidas paralisações. Já sem estratégia para furar a retranca cearense, o Santos pressionou, mas não conseguiu vazar o gol de João Ricardo ficando no empate sem gols em Barueri.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 0 x 0 CEARÁ

SANTOS – João Paulo; Madson (Lucas Braga), Maicon, Eduardo Bauermann e Lucas Pires; Rodrigo Fernández, Vinícius Zanocelo, Léo Baptistão (Lucas Barbosa); Jhojan Julio (Ricardo Goulart), Marcos Leonardo e Bryan Ângulo (Rwan). Técnico: Fabián Bustos.

CEARÁ – João Ricardo; Michel (Luiz Otávio), Messias, Gabriel Lacerda e Bruno Pacheco; Rodrigo Lindoso, Richard Coelho e Lima (Nino Paraíba); Mendoza (Yuri Castilho), Zé Roberto (Cléber) e Erick (Richardson). Técnico: Dorival Júnior.

CARTÕES AMARELOS – Jhojan Julio (Santos).

CARTÃO VERMELHO – Richard (Ceará)

ÁRBITRO – Savio Pereira Sampaio (DF).

RENDA - R$ 1.038.325,00.

PÚBLICO – 25.697 pagantes.

LOCAL - Estádio do Barueri, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.