Felipe Oliveira / EC Bahia
Felipe Oliveira / EC Bahia

Em casa, Bahia defende vantagem contra Ceará para ir à final da Copa do Nordeste

Kayke é o terceiro centroavante do time baiano a se machucar, depois de Edigar Junio e Júnior Brumado

Estadão Conteúdo

26 Junho 2018 | 08h06

Enquanto os outros times descansam durante a Copa do Mundo da Rússia, Bahia e Ceará buscam tranquilidade antes da retomada do Campeonato Brasileiro, competição na qual ambos estão na zona de rebaixamento. O ambiente que a dupla terá que lidar na sequência da temporada vai depender do resultado desta terça-feira, quando os dois se enfrentam na Arena Fonte Nova, em Salvador, às 21h45, em jogo válido pela rodada de volta das semifinais na Copa do Nordeste.

+ Sampaio Corrêa abre vantagem sobre o ABC nas semifinais da Copa do Nordeste

+ Copa do Nordeste terá novo formato em 2019 e campeão receberá R$ 1 mi

+ Confira a tabela da Copa do Mundo da Rússia

O Bahia venceu por 1 a 0 a partida de ida, na Arena Castelão, em Fortaleza, e por isso joga por um empate para garantir a vaga na final. O Ceará precisa vencer por dois ou mais gols de diferença ou até mesmo por um, desde que faça dois gols ou mais. Uma vitória por 1 a 0 para o lado cearense é o único placar que leva a decisão para os pênaltis.

A expectativa é de um jogo nervoso, típico de uma decisão, afinal vale vaga na final. O time que avançar vai decidir o título contra o vencedor do duelo entre ABC e Sampaio Corrêa, que jogam nesta quinta-feira, em Natal. O time maranhense venceu o primeiro jogo por 1 a 0, em São Luís.

Com um ambiente menos tenso após a chegada do técnico Enderson Moreira, que substituiu Guto Ferreira, o Bahia está confiante, mas o seu discurso é cauteloso. Para ele, a situação não é tão favorável como parece. "É uma vantagem mínima, então a gente não pode sentar em cima dessa vantagem e fazer um jogo simplesmente com o perfil de administrar o adversário", alertou.

O desfalque do time baiano será o centroavante Kayke, com uma lesão no músculo adutor da coxa. A única opção para a posição é o jovem Geovane Itinga, de 20 anos. Isso porque Edigar Junio e Júnior Brumado seguem entregues ao departamento médico.

Apesar da vantagem matemática do adversário, que ainda joga em casa, o técnico Lisca acredita que o Ceará pode reverter o placar. "Eles levam a vantagem de um gol fora, mas a competição ainda está aberta. Nós podemos marcar um gol e voltar para a disputa", lembrou esperançoso.

Como de costume, Lisca fechou os treinamentos e fez mistério em relação à escalação. O certo é que o lateral-direito Pio está de fora por causa de uma fratura na mão. O tempo de recuperação previsto é de cinco semanas. Richardson, Valdo, Arthur e Juninho estão em transição, enquanto que o atacante Felipe Azevedo é dúvida. Não restam muitas opções.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.