Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Em casa, Brasil tenta acabar com hegemonia espanhola no futsal

Comandada pelo craque Falcão, seleção tenta apagar imagem negativa deixada nos dois últimos mundiais

EFE

29 de setembro de 2008 | 14h16

Jogando diante de sua torcida, a seleção brasileira estréia nesta terça-feira, na sexta edição da Copa do Mundo de futsal, disputada nas cidades de Brasília e Rio de Janeiro. Os jogadores vem motivados, dispostos a acabar com o reinado da Espanha, atual bicampeã.   Veja também:  Técnico esconde escalação do Brasil no futsal    Os espanhóis faturaram o título nas edições de 2000, na Guatemala, e 2004, em Taiwan. Na primeira, passaram pelo Brasil na final, enquanto a outra eliminação dos brasileiros veio ainda nas semifinais, nas cobranças de pênaltis.   Comandada pelo técnico PC de Oliveira - que assumiu após a segunda eliminação - a equipe brasileira chega fortalecida e disposta a mostrar o mesmo jogo que a levou a vencer os Mundiais de 1982, 1985 (organizados pela extinta Fifusa), 1989, 1992 e 1996.   O último título do grupo foi a Copa América, disputada em junho no Uruguai. O Mundial será a última competição do ala Falcão, considerado uma referência do esporte no mundo e que, aos 31 anos, quer encerrar a carreira pelo país com o título do Mundial.   O torneio deste ano terá 20 participantes divididos em quatro grupos de cinco, com partidas disputadas nos ginásios Nilson Nelson, na capital do país e casa do Brasil na primeira fase, e Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.   Além de Brasil e Espanha, podem surpreender a Argentina e a Itália, que conta com nada menos que 14 brasileiros naturalizados - "fenômeno" este presente em grande parte dos participantes.   A própria Espanha tem três jogadores nascidos no Brasil: o ala Daniel Ibañes e os pivôs Marcelo e Fernando. Outras equipes com brasileiros em quadra são Estados Unidos, Portugal, Rússia e Japão.   REGULAMENTO Ao todo, a Copa do Mundo terá seis equipes da Europa (além de Espanha, Itália, Rússia e Portugal, República Tcheca e Ucrânia); quatro da América do Sul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai); quatro da Ásia (Irã, Tailândia, Japão e China); três da Concacaf (EUA, Guatemala e Cuba); duas da África (Líbia e Egito); e uma da Oceania (Ilhas Salomão).   Os dois primeiros colocados de cada chave avançam à segunda fase, que terá dois grupos de quatro seleções. Novamente os dois melhores de cada chave avançam, formando as semifinais. Se o Brasil acabar em primeiro, jogará a etapa seguinte no Rio de Janeiro.   A estréia dos brasileiros será nesta terça, diante do Japão, às 10h30 de Brasília. A equipe joga ainda contra Ilhas Salomão (quinta), Rússia (sábado) e Cuba (dia 8).   CONFIRA OS GRUPOS: Grupo A: Brasil, Rússia, Japão, Cuba e Ilhas Salomão Grupo B: Itália, Portugal, Tailândia, Paraguai e Estados Unidos Grupo C: Argentina, Ucrânia, China, Guatemala e Egito Grupo D: Espanha, República Tcheca, Irã, Uruguai e Líbia  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.