CRISTINA QUICLER/ AFP
CRISTINA QUICLER/ AFP

Em casa, Sevilla volta a tropeçar e deixa Top 3 do Campeonato Espanhol

Equipe de Jorge Sampaoli não consegue passar do 0 a 0 na partida contra o Sporting Gijón

Estadao Conteudo

02 de abril de 2017 | 09h46

Com dificuldades na temporada europeia, desde sua queda na Liga dos Campeões, o Sevilla voltou a tropeçar neste domingo. Mesmo jogando em casa, o time de Jorge Sampaoli não conseguiu passar do 0 a 0 com o Sporting Gijón, que está na zona de rebaixamento do Campeonato Espanhol.

Com o resultado, o Sevilla deixou o Top 3 da tabela pela primeira vez desde novembro do ano passado. Candidato a brigar com Real Madrid e Barcelona pelo título, o time agora ocupa o quarto posto, com 58 pontos. Isso porque foi superado pelo Atlético de Madrid, que venceu no sábado e chegou à mesma pontuação, mas com vantagem nos critérios de desempate.

Ainda dentro da zona de classificação para a próxima Liga dos Campeões, o Sevilla praticamente deixou a briga pelo título. Real Madrid, com 65, e Barcelona, com 63, concentrarão agora a disputa pelo troféu. Os dois times ainda jogarão neste domingo e podem abrir ainda mais vantagem na ponta. Já o Sporting Gijón tem apenas 22 pontos e está em 18º.

Novamente sem contar com Paulo Henrique Ganso, que não deixou o banco de reservas, o Sevilla dominou o Gijón durante toda a partida. Criou muitas chances de gol - foram 17 finalizações em toda a partida - e dominou a posse de bola. Mas parou nas próprias falhas nos chutes e nas defesas do goleiro Ivan Cuellar, o melhor jogador do confronto.

Nesta sequência negativa, de quatro jogos sem vitória no Espanhol, o Sevilla terá uma missão ainda mais complicada na próxima rodada. Na quarta-feira, o time de Sampaoli vai enfrentar o Barcelona, no Camp Nou. Um novo revés pode instalar de vez a crise no Sevilla.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.