Em casa, Vasco pega Grêmio para subir na classificação

O Vasco retornou da estrada com dois bons resultados na bagagem. Venceu o Coritiba, no estádio Couto Pereira, e arrancou um empate com o Santos, na Vila Belmiro. Esses quatro pontos na última viagem deixou o time cruzmaltino em boa posição para tentar um ataque ao G4. Adversário e local são ideais. Às 21 horas deste sábado, pela 15.ª rodada do Campeonato Brasileiro, recebe o Grêmio, em São Januário, com a possibilidade de igualar a pontuação do oponente, que ocupa o quarto lugar.

LEONARDO MAIA, Agência Estado

17 de agosto de 2013 | 08h17

Com 19 pontos, os vascaínos estão na nona colocação. Um triunfo sobre os gremistas poderia fazê-los saltar cinco posições na tabela de classificação e até destituir o time gaúcho de seu posto na zona de classificação para a Copa Libertadores. Para isso, os comandados de Dorival Júnior precisariam vencer por uma grande goleada.

Mas, mais importante do que assumir uma improvável posição entre os quatro primeiros é manter a evolução apresentada nos últimos jogos. O Vasco está invicto há três rodadas. Mesmo com as graves lesões de Sandro Silva e Guiñazu, a equipe tem superado a ausência com dedicação redobrada. "O torcedor deve comparecer pelo nosso trabalho, por nossa gana. O time está dando gosto de ver, com bastante posse de bola, confiança, mas precisamos do torcedor ao lado", convocou o goleiro Diogo Silva, em entrevista à rádio Brasil.

Dorival Júnior terá um reforço para o confronto. O zagueiro Cris, recém-chegado, treinou bem nesta sexta-feira. Mas o técnico não vai correr riscos e manterá Jomar ao lado de Rafael Vaz na zaga, optando pelo vigor físico em detrimento da experiência. O volante Pedro Ken, que cumpriu gancho contra o Santos, volta ao time. O meia colombiano Montoya, que fez sua estreia naquela partida, ainda precisa ganhar ritmo e fica no banco.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.