Em casa, Vasco vira sobre o Mesquita na Taça Rio

Com vitória por 2 a 1 em São Januário, equipe segue com 100% no segundo turno do Estadual do Rio

Leonardo Maia, Agencia Estado

26 de março de 2009 | 00h16

Com dificuldades, o Vasco manteve os 100% de aproveitamento na Taça Rio ao derrotar, de virada, o Mesquita por 2 a 1, nesta quarta-feira, em São Januário, pela 5.ª rodada do segundo turno do Campeonato Carioca.

Veja também:

tabela Estadual do Rio - Classificação / Calendário / Resultados

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O resultado deixa o Vasco na liderança do grupo A, com 15 pontos, mesmo número do Fluminense, mas com dois gols a mais de saldo. O Mesquita continua sem pontuar no grupo B na Taça Rio e é o lanterna da competição.

No entanto, surpreendentemente, o Mesquita não apenas conseguiu equilibrar o jogo na primeira etapa como dominou os donos da casa. A superioridade dos visitantes ficou evidente nos cinco escanteios que a equipe teve na primeira etapa (contra 1 do Vasco) e pelo gol de Ederson, que abriu o placar aos 37 minutos.

Antes disso, porém, foi o Vasco quem assustou primeiro. Jéferson recebeu de Léo Lima, limpou e chutou rasteiro. A bola tocou no pé do poste direito do goleiro Fernando, aos 13 minutos. A rigor, foi o único lance de perigo que os vascaínos conseguiram criar em toda a primeira metade.

Lento na saída de bola e errando muitos passes na frente da área adversária, o Vasco permitia que o Mesquita ditasse o ritmo da partida. E precisando de um bom resultado em sua luta para deixar a zona de rebaixamento, o time da baixada fluminense pressionava pelos lados do campo. Depois de cobrança de escanteio, Ives chutou e Rodrigo Pimpão desviou com a mão, em pênalti ignorado pela arbitragem.

E foi assim que o Mesquita chegou ao seu gol. Alex Braz cruzou da esquerda e Ederson, completamente sozinho na pequena área, numa falha clamorosa da defesa vascaína, cabeceou para as redes, sem sequer sair do chão.

Antes do fim da etapa, porém, André fez um enorme favor aos cruzmaltinos. Em cobrança de falta pela esquerda, o lateral rasgou a manga da camisa de Fernando e o juiz anotou o pênalti, aos 43. Léo Lima cobrou e empatou.

Dorival Júnior, técnico vascaíno, não esperou e já voltou do intervalo com duas alterações: Fágner no lugar de Edu Pina e Enrico na vaga de Léo Lima, na expectativa de dar maior velocidade à saída de bola. E as mudanças surtiram efeito. Antes dos 8 minutos, Rodrigo Pimpão deu três chutes perigosos, que Fernando defendeu bem.

Mas a partir dos 10 minutos, o ímpeto dos anfitriões diminuiu. Tanto melhor que Fabrício foi expulso aos 17, por carrinho violento em Nílton. Em vantagem numérica, Dorival decidiu ir para o tudo ou nada, sacando o zagueiro Gian e colocando o atacante Alan Kardec.

A pressão cruzmaltina demorou, mas surtiu efeito. Aos 41, Rodrigo Pimpão fez boa jogada pela esquerda e a bola sobrou para Jéferson, que emendou com categoria, de primeira, da entrada da área, para concretizar a virada. Ainda houve tempo para Elton sofrer e desperdiçar um pênalti, já nos acréscimos.

VASCO 2 X 1 MESQUITA

Vasco - Tiago; Paulo Sérgio, Fernando, Gian (Alan Kardec) e Edu Pina (Fágner); Amaral, Nílton, Léo Lima (Enrico) e Jéferson; Rodrigo Pimpão e Elton. Técnico: Dorival Júnior.

Mesquita - Fernando; João Filipe, Alemão e Vinícius (Alan Kardec); André, Cleiton, Haroldo, Ives (Maricá) e Alex Braz; Fabrício e Ederson Silva (João Moreno). Técnico: Rubens Filho.

Gols - Ederson, aos 37, Léo Lima (pênalti), aos 44 do primeiro tempo. Jéferson, aos 41 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Fernando, Fágner, Nílton (Vasco); André, Fernando (Mesquita).

Cartão vermelho - Fabrício (Mesquita).

Árbitro - Djalma Beltrami.

Local - Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.