Eduardo Nicolau / Estadão
Eduardo Nicolau / Estadão

Em cidade que receberá seleção, sol encurta a madrugada e ajuda veranistas

Futevôlei é bastante praticado nas praias de Sochi, que já tem temperaturas altas às 7 da manhã

Ciro Campos, Leandro Silveira e Marcio Dolzan / enviados especiais a Sochi, O Estado de S. Paulo

08 Junho 2018 | 12h50

O amanhecer em Sochi, cidade que acolherá a seleção brasileira na Rússia a partir de segunda-feira, tem um ar bucólico e agradável. O sol tem aparecido diariamente neste final de primavera na Europa. E com insistência: o dia começa a clarear às 4h da manhã, e permanece assim até próximo das 21h. As noites, portanto, são curtas.

+ Mascote russo assanhado tenta abordar mulheres em sede da Copa

+ Mesmo com negociações e visitas, seleção deixa Londres satisfeita com privacidade

À beira do Mar Negro, a orla de Sochi é um local de constante movimentação de pessoas. A claridade quase permanente possibilita desde as primeiras horas do dia a presença de veranistas, principalmente idosos. O futevôlei é o esporte mais praticado no local, além da bicicleta e do patins, atividade geralmente executada na companhia de bastões de esqui para auxiliar no movimento.

A praia sem areia e com o piso formado por pequenas pedras tem águas calmas e cadeiras gratuitas deixadas à disposição dos frequentadores. Os salva-vidas são presença constante. Como o sol sai sedo, mesmo quem levanta por volta das 7h encontra um dia com bastante claridade e calor.

Na região mais central da cidade, passeios de bicicleta ou com os cães são comuns muito antes disso, por volta das 4h30 da manhã. A bicicleta é utilizada inclusive para deslocamento de garis que limpam as bem cuidadas praças da cidade. O som mais comum nas primeiras horas é o das gralhas pretas, mas os carros também começam a circular cedo pelas ruas de Sochi. O trânsito complica a partir do final da manhã.

O clarear do dia, porém, não é acompanhado pela abertura do comércio. Há muitos cafés espalhados pela cidade, alguns em quiosques nas calçadas, mas eles só abrem a partir das 8h ou 9h. Em compensação, bares e restaurantes ficam abertos até meia-noite. A exceção fica por uma ou outra loja de conveniência - a reportagem do Estado encontrou uma que fica aberta durante as 24 horas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.