Heber Gomes/AGIF
Heber Gomes/AGIF

Em clássico, Atlético-GO tem a chance de deixar o Goiás mais perto da Série B

Será o 54.º confronto da história entre os rivais goianos e o Atlético quer afundar ainda mais o time esmeraldino

Redação, Estadao Conteudo

07 de dezembro de 2020 | 08h52

A rivalidade entre Atlético Goianiense e Goiás ganha mais um capítulo na noite desta segunda-feira, quando os dois se enfrentam a partir das 20 horas, no estádio Antônio Accioly, em partida que encerra a 24.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Atlético-GO defende uma invencibilidade de quatro jogos e aposta no fator casa para abrir vantagem sobre os times que estão na zona de rebaixamento. Com 28 pontos, o rubro-negro tem 12 a mais do que o Goiás, lanterna e praticamente rebaixado, com 16.

Este será o 54.º confronto da história entre os rivais goianos. A vantagem é esmeraldina: 19 vitórias contra 15, além de 19 empates. No primeiro turno, em jogo realizado na Serrinha, o Goiás ganhou por 2 a 0.

Apesar da campanha e do momento ser superior ao do rival, o técnico Marcelo Cabo adota um discurso humilde e descarta qualquer favoritismo do Atlético-GO. Os laterais Dudu e Natanael, o zagueiro João Victor e o atacante Gustavo Ferrareis ficam novamente à disposição.

"Clássico é clássico e não tem favorito. A história do confronto diz isso. Cada equipe vive o seu momento dentro da competição. Nós preparamos uma equipe para vencer, mas também respeitamos a história do confronto, o nosso adversário de segunda-feira, que é o Goiás", disse Cabo.

O técnico Glauber Ramos aposta na vitória no clássico para manter o fio de esperança no Goiás na luta contra o rebaixamento. Para isso, tem voltas importantes como as do zagueiro David Duarte e do volante Miguel Filgueira, que cumpriram suspensão, e do meia Shaylon, que não esteve na goleada sofrida por 3 a 0 para o São Paulo por questão contratual.

"É um clássico, então é um jogo de muita vontade e disposição. Quem errar menos sai com a vitória. Estamos motivados. Clássico pode mudar tudo. É um campeonato à parte", disse Glauber Ramos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.