Bruno Cantini / Atlético-MG
Bruno Cantini / Atlético-MG

Em clássico, Atlético-MG encara o América-MG para encerrar sequência negativa

Já a equipe de Enderson Moreira visa se manter afastada da zona de rebaixamento antes da Copa

Estadão Conteúdo

07 Junho 2018 | 05h54

Próximos na tabela de classificação, mas com objetivos distintos no Campeonato Brasileiro, América-MG e Atlético-MG fazem o clássico mineiro nesta quinta-feira, às 21 horas, no estádio Independência, em Belo Horizonte, no encerramento da 10.ª rodada da competição.

+ Patric volta ao Atlético-MG e trata clássico como decisão: 'Divisor de águas'

+ Ricardo Oliveira confia em 'entusiasmo e fé' para reabilitação do Atlético-MG

O objetivo do América-MG antes da parada para a Copa do Mundo é se afastar da zona de rebaixamento e, se possível, ficar na primeira parte da tabela de classificação. Por enquanto o clube tem feito uma campanha regular, que lhe garante certa tranquilidade dentro de campo.

Com a vitória por 3 a 1 em cima do Atlético Paranaense no último final de semana, o time mineiro voltou a vencer após perder para São Paulo (3 a 1) e Corinthians (1 a 0). Com isso, chegou aos 13 pontos com quatro vitórias, um empate e mais quatro derrotas. Uma campanha considerada satisfatória.

O aproveitamento dentro de casa tem sido positivo, com quatro vitórias e apenas uma derrota. Este fator campo, em tese, fica neutralizado com o duelo contra os atleticanos, que também mandam os seus jogos no estádio Independência.

Antes líder, o Atlético Mineiro não vence há três jogos e, com isso, despencou na tabela de classificação e viu o Flamengo assumir a ponta. O time do técnico Thiago Larghi soma 14 pontos, está posicionado na metade da tabela de classificação e precisa da vitória para se aproximar do pelotão da frente.

O clássico contra o América-MG será o primeiro dos três jogos que o Atlético-MG fará em Belo Horizonte. Antes da parada para a Copa do Mundo, o time alvinegro recebe Fluminense e depois o Ceará no intuito de voltar às primeiras posições.

TIMES

Para o técnico Enderson Moreira, do América-MG, "todos os jogos são difíceis e complicados, mas um clássico carrega o ingrediente da rivalidade, que reflete tanto dentro, com o psicológico dos jogadores, como fora de campo, com a expectativa e reação da torcida".

O principal problema do time é o sistema defensivo: em apenas nove jogos o time já sofreu 14 gols. Contra o rival, Enderson Moreira vai poder contar com quase força máxima. O volante Leandro Donizete e o atacante Luan foram liberados pelos médicos e já podem voltar aos gramados. No entanto, é provável que ambos comecem no banco de reservas, já que Juninho e Gérson Magrão atuaram muito bem contra o Atlético-PR.

Uma possibilidade testada por Enderson Moreira foi trocar o atacante Judivan pelo meia Leandro Donizete, aumentando o poder de marcação no meio de campo, deixando apenas Luan e Aylon no ataque. O goleiro João Ricardo, com estiramento grau 2 no adutor da coxa direita, o zagueiro Lima, em reabilitação do joelho direito, o lateral-direito Carlinhos, com uma luxação no ombro esquerdo, e o atacante Rafael Moura, com entorse pélvica, seguem fora do grupo.

Para voltar ao caminho das vitórias, a equipe atleticana terá mudanças. Thiago Larghi sinalizou que promoverá os retornos de Leonardo Silva e Patric. Ambos haviam perdido as posições para Bremer e Emerson, respectivamente. Mas a zaga sofreu sete gols nos últimos três jogos e não vem agradando.

Além da dupla, quem também retorna é o volante Adilson, que cumpriu suspensão contra a Chapecoense. O desfalque é o lateral-esquerdo Fábio Santos, fora pelo terceiro cartão amarelo. Juninho será improvisado na esquerda e fará a estreia com a camisa atleticana.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.