Em clássico emocionante, Fla e Botafogo empatam por 3 a 3

Num clássico repleto de emoção, Flamengo e Botafogo empataram por 3 a 3, neste domingo à noite, no Maracanã. Foi a melhor partida do Estadual do Rio até o momento. As duas torcidas deixaram o estádio satisfeitas com o espetáculo e cansadas de tanto comemorar. Com o resultado, ambos seguem firmes na luta para disputar a semifinal da Taça Guanabara. O Flamengo soma agora 10 pontos, dois a mais que Botafogo e Madureira, que dividem a vice-liderança do Grupo A. Apenas dois clubes passam de fase em cada chave (A e B). O Maracanã também foi palco de uma bela homenagem a João Hélio Fernandes, de 6 anos, assinado brutalmente na quarta-feira à noite. Ele foi arrastado por 14 ruas de quatro bairros, num total de sete quilômetros. Os criminosos roubaram o carro da mãe do garoto, um Corsa, e João Hélio ficou preso ao veículo pelo cinto de segurança. O crime provocou comoção nacional. Antes de a bola rolar, as duas equipes se reuniram no meio-campo, oraram, fizeram um minuto de silêncio e pediram paz. A cena emocionou. Os torcedores aplaudiram e gritaram ?Justiça?. A torcida do Botafogo, clube de coração do garoto, exibiu uma faixa com a inscrição: ?João Hélio para sempre. O Rio chora por você.? A dose de emoção no Maracanã foi alta. A torcida rubro-negra vibrou primeiro. O atacante Obina fez 1 a 0 num lance que aliou oportunismo e boa colocação. Depois da vantagem no placar, o Flamengo se acomodou. Pagou caro por isso. O Botafogo se impôs, esbarrou na boa atuação do goleiro Bruno, mas, na base da insistência, empatou antes do intervalo. O atacante Jorge Henrique deixou sua marca e festejou bastante. ?Dedico o gol para a minha mãe. Só ela sabe o que eu passei?, disse, emocionado. O início do segundo tempo não poderia ter sido melhor para o Botafogo. O lateral-esquerdo Juan derrubou o ala Joílson na área rubro-negra. O árbitro Djalma Beltrami assinalou pênalti. Dodô cobrou com perfeição: 2 a 1. A partir daí, o clássico incendiou. O Flamengo empatou numa cabeçada do zagueiro Ronaldo Angelim. Joílson respondeu rapidamente, com um belo chute de fora da área: 3 a 2. Juan foi expulso. O time rubro-negro parecia entregue. Só parecia. Roni garantiu o empate no movimentado clássico. Quase no fim da partida, o árbitro anulou corretamente o gol de Zé Roberto. O motivo: André Lima desviou o cruzamento com a mão antes do colega de time finalizar. Ficha técnica:Botafogo 3 x 3 FlamengoBotafogo - Max; Joilson, Juninho, Asprilla e Iran (Ricardinho); Túlio, Diguinho (André Lima), Leandro Guerreiro (Juca) e Zé Roberto; Jorge Henrique e Dodô. Técnico: Cuca.Flamengo - Bruno; Leonardo Moura, Ronaldo Angelim, Thiago e Juan; Paulinho, Claiton (Juninho Paulista), Renato e Renato Augusto (Jaílton); Obina e Souza (Roni). Técnico: Ney Franco. Gols - Obina, aos 21; Jorge Henrique, aos 45 minutos do primeiro tempo; Dodô, aos 2; e Ronaldo Angelim, aos 31; Joílson, aos 35; e Roni, aos 37 minutos do segundo tempo. Juiz - Djalma José Beltrami. Cartão amarelo - Diguinho, Leonardo Moura, André Lima, Juan, Bruno, Thiago e Claiton. Cartão vermelho - Juan. Público e renda - Não disponíveis. Local - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.