Divulgação/ Atlético-MG
Divulgação/ Atlético-MG

Em clássico quente, Atlético vence Cruzeiro com golaços e entra no G4 do Mineiro

Time subiu provisoriamente para a vice-liderança, com 15 pontos, atrás do primeiro colocado América, com 17

Redação, Estadao Conteudo

07 de março de 2020 | 21h26

Com gol de Otero nos minutos finais, o Atlético-MG superou o Cruzeiro por 2 a 1, neste sábado, no Mineirão, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro. De quebra, entrou no G4 e tirou o rival da zona de classificação às semifinais.

Com o resultado, o Atlético subiu provisoriamente para a vice-liderança, com 15 pontos, atrás do primeiro colocado América, com 17. O Cruzeiro caiu para quinto, com 14.

A partida foi cheia de provocação por ambas as partes. No gol do Cruzeiro, Adilson Batista foi próximo ao banco do Atlético e chutou um copo de água em sua comemoração. O interino James Freitas repetiu o ato do adversário no gol de Otero e acabou expulso.

Antes de a bola rolar, a torcida do Atlético apostou no samba de Beth Carvalho para provocar o arquirrival, rebaixado no Campeonato Brasileiro. Um mosaico com os dizeres: "Vou festejar o teu sofrer" foi levantado no Mineirão, ao lado de balões, que lembravam a letra B.

As novidades do clássico ficaram no banco de reservas. Diego Tardelli foi anunciado no telão do Mineirão e arrancou aplausos dos atleticanos. Pelo lado celeste, Jean, recém-contratado junto ao Palmeiras, ficou como opção para o técnico Adilson Batista.

Após o apito inicial, sob os olhares do técnico Jorge Sampaoli - nas tribunas -, o Atlético tomou a iniciativa e foi superior nos primeiros 45 minutos. Guilherme Arana e Otero criaram boas oportunidades de gol e deram sufoco para a defesa do Cruzeiro, que se comportou de forma mais precavida, tendo apenas uma chance de abrir o placar.

Ela veio aos 33 minutos. João Lucas fez boa jogada e cruzou na cabeça de Marcelo Moreno. O atacante exigiu grande defesa de Victor. A resposta do Atlético veio em um golaço. Otero cobrou escanteio baixo na primeira trave. Igor Rabello desviou de calcanhar e surpreendeu o goleiro Fábio.

O gol só fez o Atlético crescer na partida. O Cruzeiro sentiu e viu o rival criar mais duas oportunidades de ampliar. Em cabeceio de Otero, a bola passou rente à trave. Antes do apito final, Ricardo Oliveira parou na defesa de Fábio.

O segundo tempo foi mais equilibrado. A equipe celeste voltou mais ligada e começou a ameaçar o rival, que quase fez o segundo com uma bela cobrança de falta de Otero, defendido por Fábio. O gol, no entanto, saiu do banco de reservas. Aos 22 minutos, Edílson cruzou com perfeição para Thiago, que foi acionado no segundo tempo, cabecear para o fundo das redes.

Após o empate, Diego Tardelli foi chamado para substituir Ricardo Oliveira. O atacante mostrou muita disposição, mas não conseguiu levar muito perigo a Fábio. Adilson, por outro lado, resolveu fechar o Cruzeiro, promovendo a estreia do volante Jean.

A tática, no entanto, não deu certo. Aos 47 minutos, Otero selou sua grande atuação no clássico com um belo gol. O meia recebeu na intermediária e encheu o pé, sem chances para o goleiro Fábio. Na comemoração, acabou expulso. Mas nada que mudasse o resultado.

Na próxima rodada, o Atlético visita o Villa Nova no sábado, às 19h, no estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima. No dia seguinte, às 16h, o Cruzeiro recebe o Coimbra, no Independência, em Belo Horizonte.

Mais cedo, o Patrocinense afundou o Tupynambas na lanterna do Campeonato Mineiro ao golear o rival por 4 a 0, em Juiz de Fora. O time da casa é o lanterna, com dois pontos, e ainda não venceu. Já o rival subiu para a sexta posição, com 12. Os gols foram marcados por Diego Luis e Paulo Renê, três vezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.