Divulgação
Divulgação

Em clima de férias, Atlético-MG enfrenta o Botafogo em Brasília

Time que entrará em campo realiza apenas um rachão durante a semana e contará, dos titulares, apenas com o atacante Carlos

Alex Capella, Estadão Conteúdo

07 de dezembro de 2014 | 09h33

A diretoria do Atlético Mineiro decidiu antecipar as férias de várias estrelas do time. Com isso, encara o Botafogo, neste domingo, às 17 horas, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pela 38.ª e última rodada do Brasileirão, com um time praticamente reserva.

Ninguém no clube esconde que a equipe mineira, campeã da Copa do Brasil, não tem mais nenhuma pretensão na partida, nem melhorar a sua posição na classificação final.

O time que entrará em campo realizou apenas um rachão durante a semana e contará, dos titulares, apenas com o jovem atacante Carlos. O zagueiro Réver, que se recuperou de lesão e trabalha para ganhar ritmo de jogo, também deve atuar. A preocupação da comissão técnica agora é manter seus principais jogadores e reforçar o grupo para a próxima temporada.

BOTAFOGO

Sem o goleiro Jefferson, cujas férias foram antecipadas, o Botafogo se despede do Campeonato Brasileiro de forma melancólica. O técnico Vagner Mancini ainda não sabe se permanecerá no clube em 2015 e quer, ao menos, encerrar o ano com uma vitória.

O clube alvinegro carioca passa por uma das piores crises de sua história. Com dívidas superiores a R$ 700 milhões, amargará no próximo ano nova passagem pela segunda divisão nacional - caiu também em 2002. Há duas semanas, o administrador Carlos Eduardo Pereira foi eleito presidente e disse que encontrou um cenário pior ainda do que imaginava.

Além do acúmulo de dívidas, incluindo salários atrasados de atletas, pessoal da comissão técnica e de funcionários de vários setores do clube, o Botafogo sofreu tecnicamente com a interdição do Engenhão, para obras emergenciais, com uma equipe fraca e não conseguiu escapar da queda.

Vagner Mancini vai aproveitar a partida deste domingo para fazer algumas observações. Ele conta com a possibilidade de recomeçar um trabalho no Botafogo. Seu nome é bem visto por alguns novos dirigentes do clube - muitos o excluem de responsabilidade no novo rebaixamento.

Sem Jefferson, ele pode escalar Helton Leite, com quem treinou na última sexta-feira, ou Andrey, que foi o titular durante alguns jogos deste ano, em que o titular estava a serviço da seleção brasileira.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBrasileirãoAtlético-MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.