Em clima de final, Cruzeiro recebe Santos

Num jogo com status de decisão antecipada, mesmo faltando 16 rodadas para o término do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro recebe o Santos neste sábado, às 16h, no Mineirão, pela 31ª rodada da competição. A partida vale a liderança isolada do Brasileirão, já que as duas equipes lideram o campeonato, com 58 pontos cada. O time mineiro leva a vantagem no saldo de gols (28 contra 24). Durante a semana, o clima na capital mineira lembrou os dias que antecedem à uma final.Segundo a Administração dos Estádios de Minas Gerais (Ademg), cerca de 58 mil dos 77.920 ingressos já haviam sido vendidos até o final da tarde desta sexta-feira, o que já garante o recorde de público do Brasileiro deste ano. "É um jogo que movimenta a cidade e a gente espera fechar a semana com chave de ouro", disse o meia Alex, estrela principal do time celeste.Contra o Peixe, o Cruzeiro irá defender uma invencibilidade de exatos 11 meses e 31 partidas disputadas em Belo Horizonte. A última derrota cruzeirense em seus domínios ocorreu no dia 20 de outubro do ano passado. O time celeste perdeu por 2 a 1 para o Atlético-MG, em partida válida pelo Brasileirão de 2002. Curiosamente, sete dias antes, a equipe da Toca da Raposa havia sido goleada pelo Santos, por 4 a 1, na última vez que as duas equipes jogaram no estádio da Pampulha.Alex acredita que o vencedor do confronto desta tarde irá se beneficiar de "um efeito psicológico" no restante da competição. "Depois você vai ter um longo caminho a ser percorrido, mas o mais interessante é você estar sempre na frente".O jogador espera um jogo bom tecnicamente, mas também de muita marcação. O meia sabe que não terá muito espaço, a exemplo do que aconteceu na partida do primeiro turno, na Vila Belmiro, quando reclamou da arbitragem pelo número excessivo de faltas que recebeu. Ele, porém, descarta qualquer "duelo" com o camisa 10 santista, Diego. "O Diego é um jogador espetacular, apesar da pouca idade, mas não me vejo duelando com ele. O jogo é entre Cruzeiro e Santos, não é fulano contra fulano, beltrano contra beltrano".Rivalidade - Apesar das declarações, quase sempre cuidadosas, a Toca da Raposa II viveu uma semana de agitação. O técnico Vanderlei Luxemburgo, pediu que a partida fosse encarada pelos torcedores de Belo Horizonte como uma disputa de Minas contra os outros estados e acabou levando os atleticanos a reafirmarem a rivalidade regional e o apoio ao Santos.O treinador comandou dois coletivos e, ao contrário do que normalmente faz, definiu a equipe que começa jogando. O time terá duas novidades: Maldonado no meio-campo, no lugar de Felipe Melo, e Thiago, que entra na vaga do zagueiro Edu Dracena, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.