Em crise e sem técnico, Avaí quer reabilitação em casa

Envolvido em crise que teve o último capítulo marcado pela demissão do técnico Alexandre Gallo, um dia após perder para o Vasco, em casa, o Avaí terá neste domingo, a partir das 16 horas, diante do Coritiba, novamente no estádio da Ressacada, em Florianópolis, mais uma oportunidade de reagir no Campeonato Brasileiro. O time que há 17 partidas não deixa a zona do rebaixamento - atualmente é 19.º colocado, com 13 pontos dos 51 disputados - pela segunda vez no ano terá o comando do interino Edson Neguinho.

JÚLIO CASTRO, Agência Estado

21 de agosto de 2011 | 07h05

Com as partidas cada vez mais difíceis e na obrigação de vencer, o Avaí aposta no fator campo para minimizar os efeitos da crise. "Os gols que tomamos nos últimos jogos foram de falhas que poderíamos ter evitado. Com um pouco mais de atenção, a gente vai conseguir se superar", comentou o lateral-esquerdo Romano, que lamentou a demissão de Gallo. "A culpa não foi só dele. Os grandes culpados são os jogadores, mas se os resultados não chegam alguém tem que pagar", comentou.

Edson Neguinho, sem tempo de trabalhar a parte tática do time, se limitou em conversas com os jogadores. A análise dos erros da equipe nos últimos jogos pautou as sessões de diálogo intercaladas com pouca atividade com bola. O time para a partida deve ser o mesmo que perdeu para o Vasco na última quarta-feira. O confronto contra o Coritiba pode marcar a estreia do meia Lincoln, ex-Palmeiras.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroAvaí

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.