Em crise, Palmeiras vê diretor pedir para entregar jogo

Vergonha, raiva, tristeza, irritação. Os sentimentos se misturaram depois do fiasco palmeirense no Pacaembu, quarta-feira. A derrota para o Goiás - e a consequente eliminação na Sul-Americana - vai promover uma série de mudanças no clube. Mas antes de pensar em 2011 é preciso terminar o ano. E ajudar o rival Corinthians é a última coisa que torcida e diretores imaginam.

DANIEL AKSTEIN BATISTA, Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 09h11

Wlademir Pescarmona, diretor de futebol, deixou de lado o discurso politicamente correto adotado por muitos e afirmou que não quer ver o Corinthians campeão brasileiro justamente após os fracassos palmeirenses. Se o Palmeiras ganhar do Fluminense no domingo, em Barueri, o rival alvinegro pode assumir a liderança do Brasileiro, a uma rodada do fim. "Por mim, o time nem entrava em campo. A gente dava W.O."

Já Luiz Gonzaga Belluzzo retorna à presidência no pior momento. Sua licença médica expirou nesta quinta-feira - ele ficou 60 dias afastado - e a ideia era voltar com o time na final da Sul-Americana. Sua missão agora será acalmar os ânimos de todos. Não só de jogadores, mas dos próprios cartolas. "Nossa folha salarial é de time europeu, mas o futebol apresentado é de time de segunda divisão", comentou, inconformado, Pescarmona. "O time amarelou."

A programação alviverde mudou após a derrota e o treino da última quinta-feira foi cancelado. O elenco se reapresenta nesta sexta-feira e a conversa com o técnico Luiz Felipe Scolari será longa. Alguns jogadores, aliás, preferiam ficar em casa.

O treinador havia sinalizado que anteciparia as férias dos titulares, caso a eliminação viesse. Tudo indica que Felipão realmente fará isso. Os atletas que atuaram na quarta-feira não querem mais saber de jogar na temporada. "Sinceramente, acho que podiam dar férias para a gente, até para fugir da pressão", declarou o atacante Kléber.

Fica difícil acreditar que o Palmeiras entrará com força máxima contra o Fluminense. A rivalidade com o Corinthians é grande e só aumentou após as declarações do volante Elias, que ironizou no Twitter a derrota alviverde. "Alguém acha aí que eles lá vão jogar bola contra o Flu????", escreveu. O zagueiro Danilo também usou da sinceridade para falar dos próximos dois jogos da equipe. "Nosso objetivo era a Copa Sul-Americana. Não temos mais nada para fazer no Campeonato Brasileiro."

Alterado às 9h42 para correção de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.