Em crise, West Ham pedirá redução salarial aos jogadores

O co-proprietário do West Ham United, David Sullivan, revelou que o clube pedirá a jogadores e comissão técnica que aceitem uma redução de salário para aliviar a situação do clube, em grave crise econômica.

EFE,

09 de fevereiro de 2010 | 14h56

"Pediremos a todos no clube que assumam uma redução salarial de forma voluntária", revelou o dirigente ao site "BBC" Sport.

Atualmente na 18ª posição do Campeonato Inglês, o West Ham briga desesperadamente para não cair. Nos últimos dez jogos, foram apenas seis pontos obtidos.

Sullivan está preocupado pela situação econômica do West Ham, cuja dívida está estimada em 110 milhões de libras e deve aumentar caso o clube vá para a segundona. A medida não livraria nem o ex-jogador italiano Gianfranco Zola, atual treinador da equipe. "Ele é muito bem pago. Acho que todos os treinadores recebem salários excessivos", comentou o co-proprietário do clube.

Sullivan e David Gold, que deixou o Birmingham City em novembro, assumiram o controle do clube londrino no mês passado, ao comprar 50% das ações. Os novos donos do West Ham mostraram a grave situação financeira da equipe.

"Não posso acreditar nos contratos que herdei. Tudo no clube é um desastre e devemos colaborar. Se cairmos, não quero nem pensar na situação", disse.

O dirigente comentou que já foram feitas algumas demissões, e que outros ainda poderão perder o cargo. "Há pessoas nos treinos que nem sabem o que estão fazendo lá", apontou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolWest Ham unitedDavid Sullivan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.