EFE
EFE

Em desafio no México, Maradona se diz feliz por voltar onde foi campeão do mundo

Argentino viajou para o país para começar trabalho no Dorados de Sinaloa, da 2ª divisão mexicana

Estadao Conteudo

08 Setembro 2018 | 12h30

Contratado para ser treinador do Dorados de Sinaloa, clube da segunda divisão do futebol mexicano, o argentino Diego Maradona comemorou o fato de voltar a trabalhar justamente no país que o viu ser campeão do mundo. Neste sábado, a caminho da cidade de Culiacán, no noroeste do México, onde vai trabalhar, o ex-jogador se mostrou feliz pelo nova chance.

"Feliz por esta nova oportunidade de trabalho. Feliz por voltar à terra que me viu campeão do mundo em 1986", escreveu Maradona em suas redes sociais. Naquele ano, o argentino liderou a sua seleção rumo ao segundo título de Copa do Mundo - a primeira havia sido em casa, em 1978. O craque foi eleito o melhor jogador do torneio com gols, lances polêmicos e jogadas geniais.

Maradona, com 57 anos de idade, fez questão de saudar o povo mexicano. "Uma grande saudação para os mexicanos e a seu novo presidente (eleito), Andrés Manuel López Obrador, que sem dúvida trabalhará para dar felicidade para sua gente", afirmou o argentino.

O ex-jogador foi confirmado na última quinta-feira como técnico do Dorados de Sinaloa para o lugar de Francisco Ramírez, demitido horas antes de sua confirmação. A apresentação será nesta segunda e Maradona encontrará uma equipe que ocupa a 13.ª colocação, entre 15 times, na segunda divisão mexicana. Na Copa MX, o clube está classificado às oitavas de final.

Maradona apresentou um programa de futebol em um canal venezuelano durante a Copa do Mundo da Rússia e, pouco depois, foi oficializado como presidente do Dínamo Brest, da Bielo-Rússia. No entanto, depois de sua apresentação oficial, nunca mais voltou ao clube e atualmente se encontrava em Buenos Aires.

O último trabalho de Maradona como treinador foi no ano passado no Al Fujairah, da segunda divisão dos Emirados Árabes Unidos. O Dorados pertence à empresa Grupo Caliente, do empresário e político mexicano Jorge Hank Rhon, que opera cassinos em todo o país. Rhon também é dono do Xolos de Tijuana, que está na primeira divisão.

O Dorados manda seus jogos na cidade de Culiacán, a capital do Estado de Sinaloa, uma região afetada pela violência ligada ao narcotráfico. A equipe esteve por três temporadas em seguida na elite, entre 2004 e 2006. Curiosamente, Pep Guardiola, hoje treinador do Manchester City, encerrou a sua carreira como jogador no Dorados, em 2006.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.