Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Em dia de festa, Máxi López comanda a vitória do Vasco sobre a Chapecoense

Atacante argentino marca gol e dá duas assistências na vitória por 3 a 1 em São Januário

Estadão Conteúdo

26 Agosto 2018 | 21h30

No dia em que comemorava uma de suas principais conquistas da história - a Copa Libertadores de 1998 -, o Vasco contou com o faro de gol e a qualidade do argentino Máxi López para derrotar a Chapecoense e se recuperar no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, no encerramento da 21.ª rodada, o time cruzmaltino venceu por 3 a 1, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro.

No intervalo do duelo, os campeões da Libertadores de 1998 pela equipe carioca deram a volta olímpica em São Januário com a taça da conquista. Uma das principais contratações para este segundo semestre, Máxi López deu duas assistências e fez um gol nos minutos finais, quando o duelo estava empatado.

Com dois jogos a menos, o Vasco deixou a proximidade da zona de rebaixamento, subindo para 13.º lugar com 24 pontos. A Chapecoense, por outro lado, entrou na degola com 21, na 17.ª colocação.

O JOGO

Com a mesma formação que segurou o empate sem gols contra o Atlético Mineiro, no meio da semana, o Vasco entrou em campo tentando corresponder ao apoio da torcida, mas não conseguiu quebrar a morosidade da partida. Sofrendo para superar a marcação da Chapecoense, o time carioca assustou apenas nas jogadas laterais, procurando o centroavante Máxi López. O argentino, que jogou pela primeira vez em São Januário, criou a melhor chance cruzmaltina da partida, desviando cruzamento. A bola passou na frente do gol e saiu pela linha de fundo.

Bem organizada, a Chapecoense também assustou no primeiro tempo. A melhor chance saiu em finalização de fora da área de Yann Rolim, que passou por cima da meta do goleiro uruguaio Martín Silva.

A empolgação da torcida vascaína se transformou em vaias com o apito final. Para tentar fazer as pazes com a torcida, o Vasco foi para cima do visitante no segundo tempo e abriu o placar aos oito minutos. Máxi Lopez deu belo passe por cima da defesa e deixou Wagner na cara do gol. O meia dominou bem e finalizou sem chances para o goleiro Jandrei.

A Chapecoense tentou reagir logo em seguida e chegou a balançar as redes em cabeçada de Amaral. A arbitragem, no entanto, assinalou falta do volante em cima de Martín Silva e anulou o lance. O duelo parecia tranquilo para os vascaínos, já que a Chapecoense pouco ameaçava. Em um lance de bola parada, porém, os catarinenses conseguiram empatar. Aos 33 minutos, após cobrança de falta de Canteros, Leandro Pereira colocou de cabeça para o gol.

A torcida do Vasco voltou a ficar incomodada, mas Máxi López tratou de resolver a parada aos 38 minutos. Ele recebeu na entrada da área e bateu cruzado, de perna esquerda, fazendo 2 a 1.

O argentino estava em noite inspirada. Quando a Chapecoense era só ataque atrás do empate, ele encontrou espaço para acionar Thiago Galhardo em contra-ataque. O meia não desperdiçou a chance, bateu de dentro da grande área e marcou aos 46 minutos, definindo o placar.

O Vasco volta a campo contra o Atlético Paranaense nesta quarta-feira, às 19h30, em jogo atrasado da 15.ª rodada. No final de semana, a Chapecoense encara o Palmeiras, no domingo, às 19 horas, na Arena Condá, em Chapecó (SC).

FICHA TÉCNICA

VASCO 3 x 1 CHAPECOENSE

VASCO - Martín Silva; Lenon, Luiz Gustavo, Bruno Silva e Henrique; Desábato (Vinícius Araújo), Andrey, Raul e Wagner (Bruno Cosendey); Yago Pikachu (Thiago Galhardo) e Máxi López. Técnico: Valdir Bigode (interino).

CHAPECOENSE - Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral (Diego Torres), Márcio Araújo, Canteros e Yann Rolim (Vinícius); Bruno Silva (Osman) e Leandro Pereira. Técnico: Guto Ferreira.

GOLS - Wagner, aos 8, Leandro Pereira, aos 33, Máxi López, aos 39, e Thiago Galhardo, aos 46 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Raul, Máxi López e Vinícius Araújo (Vasco); Rafael Thyere (Chapecoense).

ÁRBITRO - Igor Junio Benevenuto (MG).

RENDA - R$ 178.970,00.

PÚBLICO - 8.375 pagantes (8.782 no total).

LOCAL - Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.