Roman Kruchinin/AFP
Roman Kruchinin/AFP

Em dia movimentado, Japão é a última das seleções a desembarcar na Rússia

Seleção japonesa chega na sede da Copa do Mundo apenas um dia antes da abertura do torneio

Estadão Conteúdo

13 Junho 2018 | 16h06

As 32 seleções que disputarão a Copa do Mundo estão na Rússia. A seleção japonesa desembarcou em Kazan nesta quarta-feira e foi a última delegação a chegar no país que receberá o torneio. No mesmo dia também chegaram a Polônia e a Bélgica.

+ Técnico do Japão exalta ajustes e comemora 1ª vitória no comando da seleção

+ Japão vira sobre Paraguai, encerra série negativa e vence a 1ª com novo técnico

As três últimas equipes pisaram em solo russo em um dia bastante movimentado. Horas antes, o Congresso da Fifa realizado em Moscou definiu a parceria entre Estados Unidos, Canadá e México como sede da Copa do Mundo de 2026.

Também na quarta-feira, a seleção espanhola demitiu o técnico Julen Lopetegui e anunciou Fernando Hierro como seu substituto. O surpreendente anúncio foi uma resposta à decisão do treinador de romper seu contrato unilateralmente com a seleção ao fim do Mundial da Rússia para comandar o time do Real Madrid.

Os japoneses desembarcaram na Rússia na véspera da abertura do Mundial. A cerimônia que abre o torneio vai preceder a primeira partida, entre a anfitriã Rússia e a Arábia Saudita, marcada para começar às 12h (de Brasília), no estádio Luzhniki, em Moscou. Segundo a organização, a cerimônia terá início apenas meia hora antes do começo do jogo.

 

Com a promessa de exibir um novo formato, a festa de abertura da Copa do Mundo da Rússia terá ao menos três participações especiais. A organização do evento confirmou as presenças do ex-jogador brasileiro Ronaldo, do cantor britânico Robbie Williams e da soprano russa Aida Garifullina. O evento também deve ter um novo formato, com foco em apresentações musicais.

O Japão estreia no Mundial somente na terça-feira contra a Colômbia em Saransk. As duas seleções integram o Grupo H que conta ainda com Polônia e Senegal.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.