Celio Messias/saopaulofc.net
Celio Messias/saopaulofc.net

Em dois meses, Antony vai do título na Copinha a titular principal do São Paulo

Atacante que foi destaque da Copa São Paulo de Juniores vira titular do time de Mancini

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2019 | 04h30

No dia 25 de janeiro, Antony Matheus dos Santos levantou a taça da Copa São Paulo de Juniores como destaque do São Paulo. Anteontem, no dia 20 de março, apenas dois meses depois, ele garantiu a classificação do time principal às quartas de final do Paulistão. Hoje, é titular e protagonista do time do técnico interino Vagner Mancini. 

Depois da rápida ascensão, o garoto de 19 anos entra agora na fase da afirmação. Seu primeiro desafio será diante do Ituano, depois de o time ter se classificado apenas na última rodada. “Não podemos viver apenas de empate e derrota. A gente tem que trabalhar mais firme durante a semana para que as vitórias venham”, afirmou. 

Antony começou a chamar a atenção do time de cima no final do ano passado. Suas primeiras oportunidades foram dadas pelo então técnico Diego Aguirre com o aval de André Jardine, que estava na base. Assim que foi promovido, o clube renovou seu contrato até 2023. A ideia é evitar saídas prematuras, como no caso de Eder Militão.

Embora tenha despontado há pouco, o canhoto que joga pela direita, se inspira em Messi e já começa a ter cartaz na Europa. O Ajax está de olho nele. É o mesmo time que levou David Neres. 

Mesmo tão jovem, ele já tem um staff de jogador consagrado. Sua carreira é gerenciada por empresa especializada, tem assessoria de imprensa e o patrocínio pessoal de uma grande fornecedora esportiva. 

Há nove anos no São Paulo, ele já soma nove títulos, entre os quais a Copa BH sub-17, a Supercopa do Brasil sub-20 e a Copa do Brasil sub-20. Antes de chegar ao CT de Cotia, a base são-paulina, Antony jogou futsal pelo sub-9 do Grêmio Barueri e chegou a ser premiado como melhor jogador do Estadual em 2009. Com 10 anos, foi convidado para um período de treinos e avaliações no Atlético de Madrid, na Espanha. Chegou ao Morumbi com 11 anos. Passou por todas as categorias de base. 

“Agora não tem mais base nem profissional. A partir do momento que subi é união total, todo mundo igual. Fico feliz pela campanha que venho fazendo, mas vamos acertar alguns detalhes para que o grupo venha a crescer mais”, diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.