Em Dortmund, Alemanha e Polônia abrem 2ª rodada da Copa

A partida que marcará o retorno de Michael Ballack à Copa do Mundo depois de dois jogos e quatro anos de espera também marcará uma mudança drástica no tempo nesta região do país - pelo menos é o que informa o boletim meterológico. Nesta terça, no treino de reconhecimento do gramado do Westfalenstadion, alemães e poloneses suaram debaixo de sol forte e 31 graus de temperatura, mas para quarta-feira a previsão é de chuva forte, máxima de 20 e mínima de 10 graus. O jogo começará às 21 horas (16 horas, horário de Brasília).A última vez que Ballack entrou em campo numa Copa do Mundo foi dia 25 de junho de 2002, na semifinal contra a Coréia do Sul. Ele fez o gol da vitória aos 30 minutos do segundo tempo, mas quatro minutos antes havia recebido o cartão amarelo que o tiraria da final contra o Brasil. E no jogo de abertura deste Mundial, contra a Costa Rica, ficou fora por causa de uma contusão. Quem perde o lugar no time para a volta do astro é Tim Borowski.Há muito entusiasmo entre os torcedores alemães, não só por o time polonês não assustar ninguém como também por ser um histórico freguês - são 10 vitórias da Alemanha e quatro empates. Para completar, a seleção da casa nunca perdeu nas 13 vezes em que atuou em Dortmund.Mas tudo o que o técnico Jürgen Klinsmann não quer é ouvir falar em tabu ou estatísticas. ?Vocês acham que os jogadores da Polônia estão pensando nesses números? Eles estão contra a parede, precisando ganhar de qualquer jeito, e certamente serão muito perigosos amanhã (hoje).? Como sinal dos tempos, os dois atacantes titulares da Alemanha - Klose e Podolski - nasceram na Polônia.?Vai ser um jogo difícil para mim no aspecto emocional. Não é fácil jogar contra a Polônia?, afirmou Klose. Já Podolski fez uma promessa: ?Não vou cantar nenhum dos dois hinos, porque me sinto em casa nos dois países.?Desde que o sorteio colocou alemães e poloneses no mesmo grupo, a polícia passou a se preocupar muito com a segurança da partida. Os torcedores dos dois países não são exatamente um exemplo de cordialidade e temia-se conflitos pelas ruas. Mas a julgar pelo que se viu ontem por aqui, não há motivo para ter medo. Nas ruas próximas à estação de trem havia confraternização, nada que sugerisse a possibilidade de ocorrerem brigas.Na Polônia, Pawel Janas é um homem com a cabeça na guilhotina e parece que vai ser muito difícil escapar da degola. O técnico polonês já era criticado em seu país desde que anunciou a lista de convocados para o Mundial e deixou de fora o goleiro Dudek, do Liverpool. Depois da derrota por 2 a 0 para o Equador na estréia, então, passou a ser odiado. E na opinião dos jornalistas de seu país não há a menor chance de derrotar a Alemanha nesta quarta-feira para reverter a situação. Para eles, a Copa acabou logo na primeira rodada. Mas Janas não pensa assim. Se pensa, não diz. Em sua última entrevista antes do jogo, disse que tem esperança de levar a equipe para as oitavas-de-final. ?Ainda podemos nos classificar. O jogo contra a Alemanha é nossa última chance.? O treinador faz mistério e diz que vai fazer ?pelo menos uma mudança? no time, mas sem dizer em que setor pretende mexer. Ficha técnicaAlemanha x PolôniaAlemanha - Lehmann; Friedrich, Mertesacker, Metzelder e Lahm; Schneider, Frings, Ballack e Schweinsteiger; Klose e Podolski. Técnico: Jürgen Klinsmann.Polônia - Boruc, Jop, Baszcynski, Bak e Zewlakow; Radomski, Sobolewski, Krzynowek e Jelen; Zurawski e Smolarek. Técnico: Pawel Janas.Árbitro: Luis Medina Cantalejo (ESP).Local: Westfalenstadion, em Dortmund.Horário: 16 horas (de Brasília).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.