Ina Fassbender/AFP
Ina Fassbender/AFP

Em Dortmund, torcedores lamentam portões fechados, mas respeitam distanciamento

Borussia enfrenta o Schalke 04 em retomada do Campeonato Alemão após sucesso do país na luta contra a covid-19

Redação, Estadão Conteúdo

16 de maio de 2020 | 10h56

Em vez de milhares de fãs conversando e bebendo cerveja fora do estádio Signal Iduna Park, havia apenas alguns locais para um passeio de bicicleta neste fim de semana em Dortmund, cidade acostumada a respirar futebol e que vai receber neste sábado o clássico entre Borussia Dortmund e Schalke 04.

O Campeonato Alemão retoma neste sábado suas partidas após um intervalo de dois meses em razão da pandemia do novo coronavírus. O dérbi dos times do vale do Ruhr reabre o futebol na Europa após a Alemanha ter sucesso na luta contra a covid-19.

O estranho silêncio no entorno do estádio se explica pelos portões fechados em todas as partidas, medida adotada como forma de prevenção ao contágio do vírus.

No centro da cidade, Marco Perz, fã de longa data do Dortmund, estava sentado do lado de fora do Museu do Futebol da Alemanha vestindo uma jaqueta remendada com emblemas do time. Ele garantiu que não perdeu um jogo em casa desde os anos 90.

"Normalmente, eu estaria na curva sul agora, no meio da muralha amarela", disse o torcedor, em referência ao local atrás de um dos gols onde ficam os torcedores mais vibrantes. Nessa área do estádio, a arquibancada é de concreto, sem cadeiras e repletas de barreiras. Os mais de 24 mil apoiadores ficam de pé e, como a arquibancada é inclinada e com degraus curtos, acabam formando uma muralha amarela que amedronta as equipes visitantes.

Agora Perz, sem poder cantar dentro do estádio, planeja assistir ao jogo acompanhado de um amigo e algumas cervejas. "O principal é ver o jogo", ressaltou.

As autoridades locais pediram aos torcedores que não se reunissem fora do estádio. "Qualquer um que esteja na frente do estádio porque quer acompanhar o jogo está errado", disse o prefeito de Dortmund, Ullrich Sierau, na última quarta-feira". "É um apelo ao bom senso de todos os fãs, e tenho certeza de que os fãs tanto do Borussia Dortmund como do Schalke 04 são pessoas sensatas", acrescentou.

Nicole Bartelt, outra apaixonada pelo Borussia Dortmund, disse que ficaria longe do estádio, que chamou de "templo", para mostrar às autoridades que os torcedores irão respeitar as medidas adotadas e na esperança de que os portões sejam abertos em breve e as aglomerações voltem a ser liberadas. "Se os fãs se reunirem vamos acabar esperando ainda mais tempo para voltar", ressaltou a torcedora aurinegra.

O último jogo do Dortmund também ocorreu em um estádio vazio, mas com grandes multidões do lado de fora. No dia 11 de março, milhares de torcedores do Paris Saint-Germain se reuniram do lado de fora do Parque dos Príncipes para apoiar o time francês, que, na ocasião, venceu o rival alemão por 2 a 0 e se garantiu nas quartas de final da Liga dos Campeões.

Essas cenas, e a decisão dos jogadores do PSG de comemorar com os fãs, mostraram que uma partida de futebol tem potencial para espalhar a doença, mesmo sem a presença de um único torcedor na arquibancada. Nos dias seguintes ao duelo em Paris, as ligas alemã, espanhola, francesa, inglesa e italiana foram suspensas. Agora, o futebol retorna em alguns locais, aos poucos, em uma nova realidade, diferente do que antes da pandemia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.