WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Em estreia de Pia Sundhage, seleção feminina goleia Argentina

Mesmo sem contar com Marta e Cristiane, Brasil fez 5 a 0 no Pacaembu

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

29 de agosto de 2019 | 23h36

A estreia de Pia Sundhage no comando da seleção brasileira feminina de futebol não poderia ter sido melhor. Mesmo sem contar com Marta e Cristiane, o time goleou a Argentina por 5 a 0, na noite desta quinta-feira, no estádio do Pacaembu. A treinadora sueca, de 59 anos, foi anunciada no dia 25 de julho para substituir Vadão.  

Em sua partida de estreia, a técnica bicampeã olímpica já mostrou parte do seu projeto com a seleção. Apesar das poucas mudanças no time, exibiu uma equipe mais compacta e organizada em campo. A disciplina tática foi uma das marcas do trabalho realizado por Pia na seleção.

Diante de 13.180 torcedores presentes no Pacaembu, a partida desta quinta-feira faz parte de um quadrangular amistoso, que conta ainda com Chile e Costa Rica. Com o triunfo, a seleção brasileira avançou à final, marcada para as 13 horas de domingo, no mesmo estádio. O rival será o time chileno, que superou a Costa Rica também nesta quinta-feira.

Após três dias de treino para se preparar para a sua estreia, Pia fez poucas alterações na equipe em comparação ao último jogo oficial da equipe, nas oitavas de final do Mundial da França, no mês passado. A maior parte em razão de lesões. Saíram do time Monica, Marta, Thaísa e Cristiane, as últimas três por conta de contusão.

Escalada no esquema 4-4-2, a seleção começou a partida com Bárbara; Letícia, Kathellen, Erika, Tamires; Formiga, Luana, Debinha, Andressa Alves; Ludmilla e Bia Zaneratto.

Com esta formação, o Brasil não teve problemas para se impor em campo num primeiro tempo de nível fraco. A primeira boa chance surgiu aos 12 minutos, quando Luana arriscou chute de longe, quase da intermediária, e exigiu boa defesa da goleira argentina. Na sequência, após escanteio na área, Erika escorou de cabeça na primeira trave, rente ao gol.

A rede balançou pela primeira vez aos 17. Ludmilla recebeu pela esquerda dentro da área, após boa jogada de Bia Zaneratto, e bateu na saída da goleira: 1 a 0. O segundo veio em lance de bola parada. Aos 33, Formiga escorou de cabeça e mandou para o gol, após cobrança de falta na área.

Dois minutos depois veio o terceiro gol. Em rápido contra-ataque, a seleção chegou com facilidade ao ataque, surpreendendo as argentinas. Após cruzamento rasteiro de Tamires pela esquerda, Debinha completou para a rede. Do outro lado, a Argentina teve apenas uma chance, defendida por Bárbara.

Para o segundo tempo, Pia colocou em campo Aline e Raquel nos lugares de Formiga e Bia. Não afetou o estilo de jogo e nem o ritmo imposto pela seleção em campo. Tanto que o quarto gol não demorou para sair. Aos 13 minutos, Erika aproveitou cobrança de escanteio na área para cabecear para o gol, superando a marcação de duas rivais na bola aérea. A goleira se enrolou para fazer a defesa e a bola entrou.

O gol praticamente selou a vitória brasileira de forma precoce na partida. A partir daí, a equipe da casa diminuiu o ritmo, reduziu a velocidade e passou a valorizar a posse de bola. Pia aproveitou a oportunidade para fazer testes no time. Colocou Chu e Millene nas vagas de Debinha e Andressa.

A tranquilidade em campo também era favorecida pela fraca atuação do time argentino. Demonstrando falhas técnicas evidentes e até falta de maturidade, as argentinas praticamente não ameaçaram o gol de Bárbara. As poucas investidas eram chutes da intermediária que chegavam sem qualquer força nos pés da goleira brasileira.

Mesmo sem fazer força no ataque, a seleção buscou o quinto gol, com franca ajuda das rivais. Após cobrança de falta na área, aos 37 minutos, Juncos cabeceou contra as próprias redes e fechou a goleada brasileira, na estreia da nova treinadora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.