Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Em festa por jogo 1.000 de Rogério Ceni, São Paulo pega Atlético-MG

Com mais de 60 mil ingressos vendidos, equipe tricolor luta pela liderança, às 16h, no Morumbi

Moreno Bastos, Agência Estado

07 de setembro de 2011 | 08h17

SÃO PAULO - Motivos não faltaram para o torcedor do São Paulo, que espantou a desconfiança pelos últimos resultados em casa, e comprou os mais de 60 mil ingressos colocados à disposição para o confronto contra o Atlético Mineiro, nesta quarta-feira, às 16 horas (de Brasília, com transsmissão ao vivo da rádio Estadão ESPN), no Morumbi, pela 22.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Neste dia 7 de setembro, Rogério Ceni, o maior ídolo do São Paulo completa 1.000 jogos e exatos 21 anos como jogador do clube.

O goleiro de 38 anos entra para a seleta lista, que inclui apenas Pelé (1.114 jogos pelo Santos) e Roberto Dinamite (1.075 pelo Vasco) de jogadores que atingiram mil partidas pela mesma equipe brasileira. Para deixar a festa ainda mais animada aos são-paulinos, a equipe pode assumir a liderança - o que não faz desde a sexta rodada da competição - se bater o Atlético. Isso porque o atual líder, o Corinthians, só enfrentará o Flamengo na quinta.

Para retomar a ponta, no entanto, o São Paulo terá que derrubar um retrospecto ruim em casa. Nas últimas seis vezes em que recebeu um rival no Morumbi pelo Brasileirão, a equipe conquistou apenas uma vitória. Por isso, a mais nova marca atingida por Rogério Ceni chegou em boa hora para os são-paulinos angustiados com a má fase do time. É um incentivo a mais para retomar o caminho das vitórias.

A diretoria organizou um evento para atrair a torcida, que ganhará brindes comemorativos ao novo recorde do ídolo. E dentro da equipe ninguém parece querer estragar a festa do capitão, que no último sábado, quando o São Paulo, cheio de reservas, bateu o Figueirense, e reassumiu a segunda colocação, clamou pela torcida no Morumbi contra o Atlético Mineiro. "É festa do Rogério. Temos que correr dobrado também se temos a ambição de ganhar o campeonato", afirmou o zagueiro Rhodolfo, no mesmo tom dado por outros jogadores.

O homenageado da tarde já avisou que não vai a festa alguma. Nem ele e nem o adversário. "O Atlético é um time experiente, que está em recuperação e vem de duas vitórias, sem sofrer gols. Virá confiante e não vai querer ser coadjuvante", afirmou o camisa 1 do São Paulo.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Jean, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Casemiro, Carlinhos Paraíba e Cícero; Lucas e Dagoberto. Técnico: Adilson Batista.

ATLÉTICO-MG - Renan Ribeiro; Mancini, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Serginho, Filipe Souto e Daniel Carvalho; Neto Berola e André. Técnico: Cuca.

Árbitro - Péricles Bassols P. Cortês (RJ); Horário - 16 horas (de Brasília); TV - Pay-per-view; Rádio - Estadão ESPN  (AM 700/FM 92,9); Local - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.