Em Florianópolis, Avaí e Coritiba empatam sem gols

Em jogo de baixa qualidade técnica, Avaí e Coritiba empataram sem gols neste domingo, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela 18.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na partida em que o time catarinense teve o comando do técnico interino Edson Neguinho, ficou evidenciada a fragilidade ofensiva da equipe que, por mais voluntariosa, teve certo domínio sobre o adversário, porém sem força e eficiência no quesito finalização. O Avaí permanece na zona de rebaixamento e, agora, tem na chegada do cotado técnico - Márcio Goiano, ex-Figueirense - a esperança de iniciar a sua reação para evitar o rebaixamento.

JÚLIO CASTRO, Agência Estado

21 de agosto de 2011 | 18h29

O primeiro tempo foi marcado por escassas chances de gols protagonizadas pelas duas equipes. Com a responsabilidade do dever de casa, o Avaí partiu para cima de um Coritiba preso em seu campo de defesa. Na fria tarde em Florianópolis, o Avaí mostrou pouco serviço. Até empolgou o pequeno público com uma chance criada aos 11 minutos com o atacante William, que, na entrada da área, soltou uma bomba para o alto. A partir dos 13, o Coritiba equilibrou a partida com mais movimentação e posse de bola.

Insistindo pelas laterais, com o voluntarioso mas inoperante Romano, o time catarinense criou sua melhor oportunidade aos 30 minutos, quando o meia Cleverson pegou uma assistência do volante Diogo Orlando e, de bico, tentou sem sucesso surpreender o goleiro Edson Bastos.

A jogada despertou o Avaí, que impôs pressão sobre a defesa do Coritiba e, três minutos depois, Pedro Ken recebeu dentro da área e chutou de primeira exigindo reflexo de Edson Bastos, que tirou na gaveta. Romano também mostrou serviço, aos 40, com um chute em curva que raspou a trave, fechando as chances avaianas no primeiro tempo. O Coritiba praticamente só se defendeu no período.

Na ansiedade, o Avaí iniciou a etapa final com a mesma disposição, porém descontrolado emocionalmente. Já aos dois minutos, por reclamações, os atacantes Rafael Coelho e William levaram cartão amarelo. O Coritiba, estrategicamente, pouco ousou na primeira metade do segundo tempo. Preferiu jogar nos erros do adversário com a esperança de encaixar um contra-ataque. Conseguiu um, aos 20, o mais perigoso do jogo. Foi com o angolano Geraldo, que na voluntariedade infiltrou-se na defesa e serviu para o meia Anderson Aquino carimbar a trave.

O mesmo Aquino, aos 35 minutos, cobrou falta que explodiu na defesa. O Avaí marcou sua atuação nos últimos 10 minutos com posse de bola e com mais determinação para atacar. Porém disperso, sem cadência e principalmente sem criatividade para superar a defesa do Coritiba, somada às alterações equivocadas do interino Edson Neguinho, completou a partida sob vaias dos inconformados e poucos torcedores no estádio.

Pela 19.ª rodada, a última do primeiro turno, o Avaí volta a jogar no próximo domingo no clássico diante do Figueirense, às 18 horas, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Também em um clássico estadual, o Coritiba enfrenta o Atlético Paranaense, no próximo sábado, às 18 horas, no estádio Couto Pereira, em Curitiba.

Ficha técnica

Avaí 0 x 0 Coritiba

Avaí - Felipe; Arlan, Gustavo Bastos, Welton Felipe e Romano; Bruno, Diogo Orlando (Acleisson), Pedro Ken (Dinelson), Cleverson (Fabiano); Rafael Coelho e William. Técnico: Edson Neguinho (interino).

Coritiba - Edson Bastos; Jonas (Maranhão), Jéci, Emerson e Lucas Mendes; Leandro Donizetti, Everton Ribeiro (Geraldo), Anderson Aquino e Tcheco; Marcos Aurélio (Gil) e Leonardo. Técnico: Marcelo Oliveira.

Cartões amarelos - Romano, William e Rafael Coelho (Avaí); Leandro Donizetti e Maranhão (Coritiba).

Árbitro - Francisco Assis Almeida Filho (CE).

Renda e público - Não disponíveis.

Local - Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.