Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Em Goiânia, Santos aposta no trio de ataque para vencer quarta seguida

Boa fase de Sasha, Marinho e Soltedo motiva o time de Sampaoli contra o Goiás, neste sábado

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2019 | 04h36

Em boa fase no Campeonato Brasileiro e embalado por uma série de três vitórias consecutivas, o Santos visita o Goiás, neste sábado, às 17 horas, no Serra Dourada, apostando nos gols do trio de atacantes que conquistou a titularidade e a confiança do técnico Jorge Sampaoli.

A atual sequência de triunfos, a segunda maior do Santos nesta edição do Brasileirão, tem com uma das suas coincidências a presença de Eduardo Sasha, Marinho e Soltedo, juntos, no ataque. E foi deles seis dos sete gols marcados pelo time diante de Bahia, Botafogo e Ceará.

Por isso, mesmo que Sampaoli tenha o costume de alterar as escalações do Santos entre uma partida e outra, eles deverão ser mantidos no time para o duelo com o Goiás. Para essa decisão, também pesa a regularidade desses atacantes, responsáveis por 23 dos 45 gols marcados pela equipe no Brasileirão.

Entre eles, o principal destaque vem sendo Sasha, com 12 gols marcados em 30 jogos, o que o deixa em terceiro lugar na relação de artilheiros da competição, atrás apenas dos flamenguistas Gabriel e Bruno Henrique. E somados aos seis gols de Soteldo e aos cinco de Marinho, ficam bem à frente de Derlis Gonzalez, Uribe, Lucas Venuto e Taílson na preferência de Sampaoli.

O trio ofensivo não será alterado, mas o Santos terá, novamente, novidades na escalação para encarar o Goiás. Como Gustavo Henrique foi expulso na vitória de quarta-feira sobre o Avaí, o treinador precisará escolher outro zagueiro para atuar ao lado de Lucas Veríssimo. E o favorito a atuar no Serra Dourada é Luiz Felipe.

Sem um dos pilares do seu sistema defensivo, Sampaoli deve até deixar de lado o seu sistema tático preferido para jogos como visitante. Afinal, em 12 das 16 partidas que fez fora de casa, escalou o Santos com três zagueiros, algo que não deverá repetir em Goiânia, com a adoção do 4-3-3.

Longe de casa, onde venceu sete jogos e tem a terceira melhor campanha deste Brasileirão, o Santos buscará ampliar o seu melhor desempenho nos pontos corridos como visitante, já com 25 pontos somados e ainda com mais três partidas a serem disputadas nessa condição. 

"Estamos focados em deixar o Santos no lugar mais alto. Vamos jogo a jogo, vendo quantos pontos somamos. Passamos a barreira dos 60 pontos e isso nos deixa muito felizes", afirmou Sampaoli. 

O compromisso da 32ª rodada pode ser especial pela possibilidade de o Santos sacramentar, com seis jogos ainda a disputar, o retorno à Libertadores após um ano de ausência. Para isso, porém, precisará contar com uma combinação de resultados que só poderá ser concluída no domingo.

O primeiro passo, claro, é fazer a sua parte e vencer o Goiás no Serra Dourada, onde foi goleado na sua última visita, em 2015. por 4 a 1. Depois, será preciso que o Corinthians não vença o Palmeiras, também neste sábado, no Pacaembu. Já no domingo, a torcida será para o Internacional não superar o Fluminense no Beira-Rio.

Derrotado pelo Atlético-MG na última quarta-feira, o Goiás busca a recuperação para seguir firme no objetivo de disputar algum torneio continental em 2020. E tentará ampliar o seu bom desempenho recente como mandante, com quatro vitórias e dois empates nos últimos seis compromissos no Serra Dourada. A novidade na escalação deverá ser a presença do ex-palmeirense Papagaio na vaga do suspenso Rafael Moura.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS X GOIÁS

SANTOS - Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Evandro (Felipe Jonatan); Marinho, Eduardo Sasha e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli.

GOIÁS - Tadeu; Yago Rocha, Lucão, Rafael Vaz e Jefferson; Gilberto, Léo Sena e Thalles; Michael, Papagaio e Leandro Barcia. Técnico: Ney Franco.

ÁRBITRO - Bruno Arleu de Araujo (RJ)

HORÁRIO - 17 horas.

LOCAL - Serra Dourada, em Goiânia (GO). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.