Rafael Ribeiro/Vasco
Rafael Ribeiro/Vasco

Em grande fase, Vasco recebe Grêmio em São Januário e quer igualar marca de 2012

Desde 2003 que o clube de São Januário não vence seus quatro primeiros jogos no Brasileirão; este ano já ganhou três

Redação, Estadão Conteúdo

23 de agosto de 2020 | 11h52

Desde que o Campeonato Brasileiro passou a ser disputado em pontos corridos, em 2003, o Vasco conseguiu vitórias em seus quatro primeiros jogos apenas uma vez. O time cruzmaltino, em grande fase, pode finalmente igualar o feito de 2012. Para isso, precisa superar o Grêmio, em São Januário, no duelo deste domingo, às 16 horas, válido pela quinta rodada.

Em uma fase esplêndida, o Vasco superou Sport, São Paulo e Ceará, soma nove pontos e briga no momento pelos primeiros lugares - com um jogo a menos - algo impensável até para o torcedor mais otimista antes do início do Brasileirão.

Até aqui, a equipe marcou sete gols e sofreu apenas um, o que a deixa como a defesa menos vazada da competição. A retaguarda, hoje liderada pelo capitão Leandro Castan, foi um dos grandes problemas do Vasco nas últimas temporadas, com vários gols sofridos. Mas isso parece ter ficado no passado.

Fato é que o time se acertou com o técnico Ramon Menezes e tem chamado a atenção pela segurança defensiva, organização e eficiência no ataque, setor comandado pelo argentino Germán Cano, que ostenta uma média de gols impressionante: 0,75 por jogo - 12 marcados em 16 partidas.

"Houve uma mudança de comportamento, que não é fácil. Agradeço muito aos jogadores. O fruto desse trabalho é da dedicação deles. O time está jogando com a cara do Vasco, com entrega, entregando a alma em alguns jogos", explicou o treinador em entrevista ao SporTV.

Ramon, que faz questão de frear a empolgação e mantém discurso cauteloso apesar do começo animador, ganhou duas opções para o duelo contra o Grêmio. Bruno César e Vinícius participaram dos últimos treinamentos e estão liberados. O meia teve de cumprir o período de dez dias de isolamento por ter testado positivo para o covid-19 e o atacante se recuperou de uma lesão na panturrilha esquerda.

Não é certo que Bruno César seja relacionado. Ele ficou inativo por um longo período e isso pode fazer com que Ramon prefira deixá-lo de fora da relação. Se for lembrado, o meia deve ficar no banco. Já Vinícius tem mais chance de ser aproveitado. O jovem atacante vinha sendo titular antes do Brasileirão até se machucar. O lateral-direito Yago Pikachu precisa de mais alguns dias para terminar o tratamento da coxa direita e continua fora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.