Em Guaratinguetá, Palmeiras quer seguir líder da Série B

Pela primeira vez na Série B, o Palmeiras entra em campo como líder e com a responsabilidade dobrada para manter a série invicta e o bom futebol. Quanto mais se ganha e joga bem, mais a torcida espera. Com essa pressão extra, o time do técnico Gilson Kleina enfrenta o Guaratinguetá neste sábado, a partir das 16h20, no Estádio Dario Rodrigues Leite, no interior paulista.

DANIEL BATISTA, Agência Estado

27 de julho de 2013 | 07h05

Se conseguir mais um resultado positivo, o Palmeiras iguala a melhor sequência de vitórias na temporada, com cinco, que foi conquistada logo depois de o time levar de 6 a 2 do Mirassol no Paulistão. Linense, Tigre, Ponte Preta, Libertad e Guarani foram as vítimas daquela vez. Agora, os derrotados são América-RN, ABC, Oeste e Figueirense, todos pela Série B.

"Isso mostra que estamos no caminho certo", disse Gilson Kleina. E, para manter o time em paz, o técnico resolveu não mexer muito na escalação. A única mudança em comparação ao time da rodada passada, que ganhou do Figueirense em Florianápolis, é a entrada do zagueiro Henrique, que estava suspenso - assim, Vilson volta para o banco de reservas.

Nos outros setores da equipe, o meia chileno Valdivia continua tendo total liberdade para chegar ao ataque, sem precisar se preocupar tanto com a marcação. Enquanto isso, Leandro e Vinícius terão de se revezar na hora de entrar na área.

O treinador quer dar um jeito de incluir Alan Kardec e Vilson na equipe, mas explicou que só fará isso com coerência - quando o titular da posição jogar mal, algo que não tem acontecido. Gilson Kleina está satisfeito com André Luiz, por isso vai mantê-lo na zaga, mesmo com Vilson bem fisicamente.

No ataque, Leandro é o artilheiro na temporada com nove gols e Vinícius vive um de seus melhores momentos com a camisa palmeirense. "Temos de respeitar o momento do jogador", explicou o treinador. Assim, Alan Kardec espera sua chance.

TUDO BEM - Dois jogadores personificam a boa fase do Palmeiras: Valdivia e Leandro. Nesta sexta-feira, por exemplo, o meia chileno brincou durante o treinamento e simulou que tivesse sofrido uma lesão após dividir a bola com Eguren. Por causa de seu histórico, todos que acompanhavam o trabalho se preocuparam com o lance. Quando os médicos chegaram perto para ver o que havia acontecido, ele levantou-se rapidamente, pegou a bola e fez um gol. Depois, saiu rindo da brincadeira.

Outro que também parece sorrir à toa é Leandro. Além de artilheiro palmeirense, ele tem chamado a atenção pelos passes para gol. Já foram seis, sendo o segundo - ao lado de Vinícius - com mais assistências no elenco. O líder é Wesley, com nove.

A empolgação contagia também a diretoria, que já pensa em ficar com Leandro para a próxima temporada. O contrato atual vale até o fim deste ano, mas o Palmeiras tem o direito de renovar o empréstimo com o Grêmio até o dezembro de 2014, tendo apenas que fazer um reajuste salarial ao atleta, algo que será feito nos próximos meses.

ÍDOLO - Neste sábado, os jogadores do Palmeiras vão entrar em campo com uma faixa e uma camisa em homenagem ao ex-lateral Djalma Santos, que morreu na última terça-feira, aos 84 anos de idade, e foi um dos maiores nomes da história palmeirense.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.