Carlos Gregório Jr|Divulgação
Carlos Gregório Jr|Divulgação

Em jejum de gols no Vasco, Riascos promete que 'fase vai passar'

Colombiano ainda não reeditou as boas atuações de 2015 e 2016

O Estado de S. Paulo

27 de fevereiro de 2018 | 17h27

Na sua segunda passagem pelo Vasco, Riascos ainda não exibiu em campo o mesmo desempenho que o fez conquistar o carinho da torcida entre 2015 e 2016. Afinal, o colombiano entrou em campo sete vezes em 2018, sem nenhum gol marcado. O jogador garante compreender as cobranças, mas promete sair em breve do que avalia ser "uma fase ruim".

+ Depois do sufoco na Libertadores, Vasco estreia na Taça Rio

"O trabalho te faz evoluir e melhorar tudo que é necessário. Nós atacantes também procuramos ajudar na defesa, mas estamos sem fazer gols lá na frente, especialmente os camisas 9. Acho que tem que ter cobrança mesmo, até porque atacante vive de gols. Tenho certeza que essa fase vai passar. Não só a minha, como também a do Ríos. Estou me sentindo bem fisicamente e estarei pronto quando a oportunidade de ser titular surgir, mas enquanto isso não acontece, irei torcer pelo sucesso do Ríos. Ele é um grande jogador", afirmou.

Riascos não é o único atacante que vive momento ruim no Vasco, tanto que o argentino Andrés Ríos, titular do setor ofensivo, só marcou um gol em sete jogos. Até por isso, existe a possibilidade de o colombiano começar jogando diante do Macaé, nesta quinta-feira, em São Januário, em confronto que foi adiado da primeira rodada da Taça Rio. 

"O professor não confirmou qual time irá usar, ainda estamos trabalhando, mas acredito que iremos entrar numa fase boa em breve, pois temos um grande grupo. Tudo vai melhorar com os treinamentos. Nosso foco está na melhora defensiva sim, não queremos mais sofrer gols de bola parada. Depois que acertarmos isso, vamos nos dedicar também na melhora ofensiva. Toda equipe passa por momentos bons e ruins. Confio em nossa volta por cima", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Vascofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.