Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Rubens Chiri/ saopaulofc.net
Rubens Chiri/ saopaulofc.net

Em jejum de títulos, São Paulo encara peso do favoritismo diante da Ferroviária

Dono da melhor campanha, time do Morumbi vive obsessão para encerrar seca de conquistas que persiste desde 2012

Redação, O Estado de S. Paulo

14 de maio de 2021 | 05h00

O São Paulo encara “vários adversários” na partida desta sexta-feira, às 21h30, pelas quartas de final do Campeonato Paulista Sicredi 2021, no Morumbi. Dentro de campo, o rival é a Ferroviária, dona da quarta melhor campanha na classificação geral. O time tricolor também enfrenta a pressão do favoritismo, pois fez a melhor campanha da fase de grupos e joga no Morumbi. Além disso, o elenco carrega o peso emocional de um jejum de 16 anos sem título paulista. Considerando-se todos os torneios, a última conquista foi a Copa Sul-Americana em 2012.

Por ter feito a melhor campanha no Estadual, o São Paulo tem como única vantagem o fato de fazer o jogo – único – em casa. Se a partida terminar empatada, a definição do semifinalista será nos pênaltis.

Se passar pela Ferroviária, o São Paulo enfrentará o Mirassol na semifinal, possivelmente no domingo, outra vez em casa. Os enfrentamentos são definidos pelas campanhas desde a primeira fase. O time do Morumbi manterá a maior pontuação; o Mirassol terá o pior desempenho entre os semifinalistas. O Corinthians já está classificado.

A obsessão são-paulina pelo torneio estadual, que já foi chamado de “Copa do Mundo” pela diretoria que tomou posse em janeiro, orientou o planejamento do técnico Hernán Crespo nesta semana. Com o aval dos diretores, o argentino poupou dez dos 11 titulares no empate de quarta-feira, em Montevidéu, diante do Rentistas, pela Copa Libertadores. Isso significa que o time titular está descansado, o que aumenta o peso do favoritismo.

Na entrevista após o jogo do Uruguai, Crespo foi questionado sobre uma eventual intervenção de diretores em seu trabalho. E mostrou certo desconforto. "A situação é muito clara no São Paulo. A diretoria se dedica a escolher os treinadores, o treinador a escolher os jogadores, e os jogadores de jogar", disse o treinador.

O motivo de tanta pressão é o fato de que o último título estadual foi conquistado há 16 anos. A única vez que o São Paulo ficou tanto tempo sem conquistar um título foi de 1957 a 1970, período em que foi construído o Morumbi e o clube injetou todas as suas economias na obra.

O plano de escalar força máxima, no entanto, foi frustrado pelas dificuldades impostas pela maratona de jogos. Crespo não deverá contar com Daniel Alves, Luciano e Eder, que passaram a semana toda em tratamento por problemas musculares sofridos há uma semana, no jogo contra o Racing, na Argentina. Deles, só Luciano participou de parte das atividades de campo nesta quinta, quando os jogadores do São Paulo se representaram após o empate no Uruguai. O atacante só participou do aquecimento com o elenco.

No lugar de Luciano, o escolhido deve ser Gabriel Sara, que não viajou ao Uruguai. Rojas e Galeano, que também jogam na posição, entraram em campo contra o Rentistas.

FICHA TÉCNICA

São Paulo: Tiago Volpi, Arboleda, Miranda e Léo; Igor Vinicius, Luan, Liziero, Benítez e Reinaldo; Gabriel Sara e Pablo. Técnico. Hernán Crespo.

Ferroviária: Saulo; David Samuel, Gustavo Medina, Alexandre e Igor; Yuri, Anderson e Fellipe Mateus; Hygor, Julio Vitor e Rogério. Técnico: Elano.

Árbitro: Salim Fende Chavez.

TV: SporTV.

Estádio: Morumbi.

Horário: 21h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.