Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Em jejum de vitórias, Atlético-MG visita rebaixado Paraná para se manter no G6

Sem dupla de zaga titular, clube paranaense tenta voltar a vencer em casa após quatro meses

Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2018 | 06h26

Há seis jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG tem uma oportunidade preciosa para conquistar o primeiro triunfo sob o comando de Levir Culpi e se manter no G6 da competição, que da vaga à fase preliminar Libertadores do próximo ano.

O time mineiro enfrenta o já rebaixado Paraná nesta quarta-feira, às 21 horas, no estádio Durival Britto, em Curitiba, pela 34ª rodada do torneio. Se vencer, o time alvinegro, que soma 47 pontos, se mantém na sexta posição, independentemente dos resultados de Atlético Paranaense e Santos, os outros postulantes à sexta posição.

A última vitória da equipe de Belo Horizonte veio diante do Sport, na 28ª rodada, então quando o time ainda era comandado por Thiago Larghi. Na ocasião, o Atlético venceu por 5 a 2. Depois, no entanto, chegou a acumular três derrotas consecutivas até empatar com o líder Palmeiras, em casa, por 1 a 1, na última rodada.

"Não tem mais margem para erro. Temos cinco jogos para conquistar essa vaga na Libertadores. Não podemos dar brecha. Depois de tudo que a gente construiu esse ano, não podemos deixar escapar essa vaga para a Libertadores", disse o meia Matheus Galdezani, que deve ser titular ao lado de Elias.

Galdezani é o provável substituto de Adilson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, assim como o centroavante Ricardo Oliveira. O colombiano Yimmi Chará sentiu dores no músculo adutor da coxa direita, não viajou para Coritiba e completa a lista de desfalques de Levir Culpi.

No lugar de Chará deve jogar o uruguaio David Terans, enquanto é provável que Ricardo Oliveira seja substituído pelo jovem Alerrandro no comando de ataque.

Ainda muito irregular, o equatoriano Cazares pregou respeito em relação ao adversário paranaense, que, apesar de já ter sua queda confirmada à segunda divisão, pode, segundo ele, complicar a vida do Atlético por jogar sem responsabilidade e, consequentemente, solto em campo.

"Temos que estar sempre de olhos abertos porque times assim dificultam para a gente. Então, temos que estar concentrados, fazer nosso jogo, jogar bem e trazer os três pontos, que é o mais importante", destacou.

Paraná tenta voltar a vencer em casa

Rebaixado para a Série B, o Paraná se apega à quebra de jejuns para buscar motivação nesta reta final de Campeonato Brasileiro. Após conquistar a primeira vitória como visitante, o time comandado por Dado Cavalcanti agora quer voltar a ganhar diante do seu torcedor, algo que não acontece desde o dia 22 de julho, quando bateu o América-MG, por 1 a 0.

De lá para cá, o Paraná fez mais oito jogos na Vila Capanema, com cinco empates (Botafogo, São Paulo, Chapecoense, Vasco e Vitória) e três derrotas (Flamengo, Santos e Ceará).

"A partir do momento que não temos mais chances, foram criados alguns objetivos para motivar os jogadores e desafiá-los. Já interrompemos essa sequência de jogos sem vencer e agora é propor novos desafios para fazer com que a gente consiga manter essa pegada", afirmou o técnico Dado Cavalcanti.

Contra o Atlético-MG, o time será bastante diferente ao que venceu o América-MG, por 1 a 0, em Belo Horizonte, no último final de semana. O zagueiro Jesiel pertence ao clube mineiro e não vai jogar por questão contratual, enquanto René cumpre suspensão pelo terceiro amarelo.

Já o volante Jhonny Lucas se juntou à seleção brasileira sub-20 para amistosos contra a Colômbia, enquanto o meia Juninho está lesionado.

Sem os dois zagueiros titulares, Charles e Igor devem formar a nova dupla de zaga. No meio-campo, Alesson ou Silvinho disputam a vaga deixada por Jhonny Lucas, enquanto Rodrigo Carioca aparece como o principal candidato a ocupar o lugar de Juninho. Independentemente do resultado, o Paraná vai seguir na lanterna, porque soma apenas 21 pontos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.