Paulo Fernandes|Divulgação
Paulo Fernandes|Divulgação

Em jejum de vitórias, Vasco busca a recuperação em casa contra o Vila Nova

O técnico Jorginho não contará com o meia Nenê, e terá ainda mais desfalques

Thiago Rabelo, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2016 | 07h30

A liderança e a invencibilidade de sete jogos na Série B do Campeonato Brasileiro não significam que o Vasco vive um bom momento. Pelo contrário. Além de ter empatado os últimos três jogos e perdido nas oitavas de final da Copa do Brasil para o Santos, o time carioca tem feito atuações ruins e entra pressionado nesta terça-feira, às 20h30, para enfrentar o Vila Nova, no estádio de São Januário, no Rio, em confronto pela 22.ª rodada.

Mesmo com a sequência sem vitórias, o Vasco ainda está soberano na ponta da segunda divisão nacional, com 41 pontos, embora a expectativa era que a vantagem para os concorrentes fosse maior. Também pressionado por resultados ruins, o clube colorado goiano está na 13.ª posição, com 26 pontos.

Não bastasse viver um momento ruim, o time cruzmaltino tem desfalques importantes na rodada. O principal é Nenê. O meia passa por um recondicionamento físico e será poupado, assim como foi no fim de semana, no empate com o Tupi por 2 a 2. O goleiro Martin Silva, convocado pela seleção uruguaia, também fica de fora e será substituído por Jordi.

No meio de campo, mais dois problemas. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Andrezinho não atua, assim com Marcelo Mattos, que segue lesionado. Desta forma, Diguinho permanece como titular, enquanto que a vaga de armador pode ficar com Evander. No fim de semana, o técnico Jorginho fez mais uma série de testes com a entrada de Leandrão e recuo de Éderson, mas sem sucesso. Com dores na panturrilha, Jorge Henrique fecha a lista de ausências e cede lugar para Eder Luis.

Após a derrota para o Náutico em casa, o Vila Nova viu o clima no clube esquentar com críticas da torcida. A primeira medida do técnico Guilherme Alves, que quando jogador atuou no Vasco em 1999, foi barrar os laterais Marcelo Cordeiro e o meia Bruno Oliveira. A esperança de gols do time está depositada em Moisés, que retornou ao clube no segundo semestre e já marcou quatro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.