Reuters
Reuters

Em 'jejum', Real Madrid reencontra Atlético na Liga dos Campeões

Na França, Monaco e Juventus brigam por vaga na semi

O Estado de S. Paulo

22 de abril de 2015 | 09h30

Nesta quarta-feira, Real Madrid e Atlético de Madrid fazem o jogo decisivo das quartas de final da Liga dos Campeões, no Santiago Bernabéu, após o confronto no Vicente Calderón terminar empatado em 0 a 0. O dérbi é a 'reedição' da final da última temporada, quando os rivais se encontraram em uma decisão inédita entre equipes da mesma cidade. Na ocasião, os merengues levaram a melhor na prorrogação, ao vencerem por 4 a 1. Porém, desde aquele jogo, vivem um jejum contra a equipe de Diego Simeone.

Para o Real Madrid, apenas a vitória serve para garantir a classificação em tempo normal. Em caso de novo 0 a 0, o confronto vai para prorrogação. O Atlético ficará com a vaga se bater o maior rival, ou então se empatar com gols. O confronto desta quarta-feira colocará a prova dois tabus, o primeiro do Real Madrid, que marca pelo menos um gol há 22 jogos seguidos como mandante na Liga dos Campeões. Por sua vez, o Atlético chegou a oito jogos sem perder o clássico nesta temporada, com quatro vitórias e quatro empates sobre os maiores rivais.

No entanto, o decacampeão da competição terá que superar também uma série de desfalques importantes. Marcelo não joga por suspensão, e dará lugar a Fábio Coentrão. Já Luka Modric, Gareth Bale e Karim Benzema estão fora por lesão, obrigando o italiano Carlo Ancelotti a montar um verdadeiro quebra-cabeças. O mais provável é que Asier Illarramendi, Isco e Javier Hernández ganhem vaga no time titular. Com isso, o colombiano James Rodríguez deverá ser avançado, para jogar aberto, assim como Cristiano Ronaldo, que está confirmado.

O Atlético de Madrid, por sua vez, chega para o duelo de volta apenas com um desfalque, o volante Mario Suárez, que está suspenso, e dará lugar ao português Tiago, que costuma participar de rodízio de posições no setor de meio. O atacante Mario Mandzukic, que até ontem era dúvida, devido problemas físicos, vai para o jogo, assim como um reserva que virou protagonista no jogo do Vicente Calderón, o goleiro esloveno Jan Oblak, que ganhou a posição de Miguel Ángel Moyá, que e lesionou na partida de volta das oitavas de final, contra o Bayer Leverkusen.

MONACO X JUVENTUS
Enquanto isso, no estádio Louis II, Monaco e Juventus duelam por uma vaga nas semis com o atual campeão italiano em vantagem por ter vencido na semana passada por 1 a 0, com direito a pênalti polêmico. Em Turim, o zagueiro português Ricardo Carvalho derrubou o atacante espanhol Álvaro Morata, aos 9 minutos do segundo tempo, em lance que os jogadores do time visitantes reclamaram de inexistência de falta e de que o lance teria ocorrido fora da área. O árbitro tcheco Pavel Kralovec, no entanto, confirmou a penalidade máxima.

Alheio a tudo isso, o chileno Arturo Vidal foi para a bola e marcou o gol único da Juventus. Com isso, a equipe precisa de um empate para avançar. Caso perca por um gol de diferença, mas balançando as redes pelo menos uma vez, também sairá do Principado classificada. Mais uma vez, o meia francês Paul Pogba ficará de fora, por estar lesionado, e assim o argentino Roberto Pereyra seguirá entre os titulares. A principal dúvida do técnico Massimiliano Allegri é na posição de primeiro homem de meio, em que Andrea Pirlo e o zagueiro Andrea Barzagli disputam posição.

Este será o segundo encontro entre Monaco e Juventus no estádio Louis II. No primeiro, em 1998, pela volta das semifinais da Liga, os anfitriões venceram por 3 a 2, inclusive com um gol do atacante Thierry Henry, mas acabaram eliminados depois de terem perdido na ida por 4 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.