Divulgação
Divulgação

Em jogo alucinante de nove gols, Friburguense bate Vasco pelo Carioca

Equipe de São Januário perde pênalti nos acréscimos do jogo

MARCO JUSTO LOSSO, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2015 | 20h38

Em jogo alucinante desde seus primeiros momentos, o Vasco foi até Nova Friburgo e foi surpreendido pelo Friburguense, que escapou assim do rebaixamento. Com seis gols apenas no primeiro tempo, o time da casa venceu o Vasco por 5 a 4 pela 14ª rodada do Campeonato Carioca e manteve o time da capital ainda sem a classificação garantida para a fase final.

A partida começou intensa, com o Vasco criando espaços para ameaçar a defesa dos anfitriões. Em bola levantada na área, aos 20 minutos, o zagueiro do Friburguense Pierre perdeu o tempo de bola e obstruiu a corrida de Julio dos Santos. O árbitro marcou pênalti, bem convertido por Gilberto.

O Vasco tentou impor seu ritmo de toque de bola, mas foi impedido pela rápida reação dos anfitriões. Em jogada na área, Jorge Luiz fuzilou para empatar a partida aos 25 minutos. Logo em seguida, em escanteio, Sérgio Gomes subiu mais alto para testar firme. O volante Lucas desviou e fez gol contra.

Mesmo com a vantagem, o Friburguense não diminuiu seu ritmo, deixando a defesa do Vasco sem orientação, que permitia a entrada cada vez mais frequente dos atacantes do time da casa. Os visitantes tentavam em jogadas esporádicas ameaçar a meta de Marcos. Gilberto tentou em lance isolado aos 34, mas a bola foi para fora.

Aos 39, nova surpresa para a zaga vascaína. Em outro escanteio, Sérgio Gomes subiu confiante para testar firme e marcar o seu na partida, sem desvio de qualquer jogador vascaíno. Com a vantagem, tudo levava a crer que o jogo iria para o intervalo sem mais alterações no placar. Puro engano. Aos 41, Yago fez boa jogada e chutou em direção ao gol. A bola bateu na mão de Cadão e o juiz marcou novo pênalti. Gilberto converteu mais uma vez.

Mas os gols não pararam aí. Aos 46, nos descontos, Sérgio Gomes, o melhor do jogo até então, encontrou Jorge Luiz atrás da zaga, em posição duvidosa. O meia dominou e chutou duas vezes para marcar seu segundo na partida e o quarto gol de seu time. Um primeiro tempo de tirar o fôlego.

Na volta do intervalo, as duas equipes voltaram ligadas para o duelo, apesar da primeira etapa elétrica. O time da casa tentava pelo seu lado direito e o Vasco respondia com estocadas de seu ataque. Aos 8, em jogada de bola parada, Bernardo cobrou alto para a área e Lucas, que tinha feito um contra, desta vez completou a favor para diminuir a vantagem dos anfitriões.

O gol do Vasco agitou ainda mais o confronto. O time da capital diminuiu os espaços e evitava o ataque do Friburguense, que ficava acuado em seu campo vendo o Vasco organizar suas jogadas. A melhor chance do time da casa na etapa final até então foi com Caíque, aos 19 minutos, que chutou por cima da meta vascaína. O Vasco permanecia controlando as principais jogadas ofensivas, mas sem muita eficiência, com muitas bolas na área e chutes sem direção.

Com todos os jogadores atrás da linha da bola, o Friburguense se defendia como podia e evitava as penetrações verticais do ataque vascaíno. O time da capital insistia nas bolas levantadas para a área.

Aos 31, em jogada inusitada e isolada do ataque anfitrião na área, o volante Serginho tentou aliviar para fora da área do Vasco com chute forte, mas acertou Felipe. A bola bateu no jogador e foi para o gol, sem chance para Martín Silva. O placar parecia estar definido. Outro engano. O Vasco ainda arrumou tempo para diminuir com Lucas, em confusão na área, e quase empatar a partida, não fosse o preciosismo de Gilberto, que bateu mais um pênalti no mesmo canto, permitindo a defesa do goleiro Marcos. O resultado livrou assim matematicamente o Friburguense do rebaixamento no Estadual.

O Vasco fica na terceira posição, com 30 pontos, e recebe pela última rodada do Carioca o Volta Redonda, em São Januário, bastando apenas o empate para garantir a classificação para a fase final. O Friburguense encerra sua campanha contra o Boavista, fora de casa.

FICHA TÉCNICA

FRIBURGUENSE 5 x 4 VASCO

FRIBURGUENSE - Marcos; Sérgio Gomes (Damião), Cadão, Pierre e Flavinho; Bidu, João Victor (Felipe), Léo (Zé Victor) e Jorge Luiz; Jefferson e Caíque. Técnico: Gérson Andreotti.

VASCO - Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo (Anderson Salles) e Christiano; Serginho, Lucas, Julio dos Santos e Jhon Cley (Yago); Bernardo (Matheus Índio) e Gilberto. Técnico: Doriva.

GOLS - Gilberto (ambos de pênalti), aos 20 e aos 42, Jorge Luiz, aos 25 e aos 46, Lucas (contra), aos 28, e Sergio Gomes, aos 39 minutos do primeiro tempo; Lucas, aos 8 e aos 40, e Felipe, aos 31 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - João Victor e Cadão (Friburguense); Christiano, Julio dos Santos e Gilberto (Vasco).

ÁRBITRO - Leonardo Garcia Cavaleiro.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Eduardo Guinle, em Nova Friburgo (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.