Em jogo com erros de arbitragem, Náutico vence e ressurge na briga contra a queda

Resultado, no entanto, não tira o time pernambucano da vice-lanterna, mas deixa a cinco pontos de sair do Z-4

Estadão Conteúdo

06 de setembro de 2017 | 23h51

Em partida com erros de arbitragem contra o Brasil, de Pelotas (RS), o Náutico fez valer o mando de campo para derrotar a equipe gaúcha pelo placar de 1 a 0 e ressurgir na briga contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série B. O duelo foi realizado na Arena Pernambuco, no Recife, pela 23.ª rodada.

Apesar do triunfo, o Náutico continua na vice-lanterna, agora com 20 pontos, a cinco de deixar a zona de rebaixamento. O primeiro fora do descenso é o Goiás, que perdeu, também por 1 a 0, para o Paraná. Já o Brasil-RS fica na 12.ª posição com 30, a sete do G4.

O empate sem gols no primeiro tempo saiu barato para o Náutico. O time pernambucano chegou a esboçar uma pressão inicial, mas foi, com o passar do tempo, dominado pelo Brasil-RS, que acabou sendo prejudicado pela arbitragem. Aos 32 minutos, Itaqui arriscou de fora da área e Jeferson soltou nos pés de Lincom. O atacante, no entanto, teve o gol anulado de maneira equivocada pelo árbitro, após a sinalização de impedimento por parte do assistente Rogério de Oliveira Braga.

O Náutico, que saiu aliviado com a anulação do gol, chegou com perigo durante os 45 minutos iniciais em duas oportunidades. A primeira tentativa saiu dos pés de Bruno Mota. O meia parou na defesa de Marcelo Pitol. Depois foi a vez de Aislan arriscar. Em cobrança de falta, o zagueiro também ficou no goleiro adversário.

A arbitragem continuou confusa durante o segundo tempo. Aos 14 minutos, Cassiano disparou, mas antes que invadisse a área acabou sendo derrubado por Aislan. O árbitro, que poderia expulsar o defensor, aplicou o cartão amarelo em Ávila, mas acabou corrigindo e advertindo o verdadeiro infrator.

Após a confusão, o Brasil-RS foi para cima do Náutico e perdeu boas oportunidades de abrir o placar. Itaqui cobrou falta rente ao travessão de Jeferson, que pegou um belo chute de Cassiano. O atacante, inclusive, incomodou muito a equipe pernambucana, mas não conseguiu transformar a boa partida realizada em gol.

O Náutico não se entregou e acabou crescendo na reta final. Em cruzamento de Ávila, William Schuster desviou, Marcelo Pitol só torceu e a bola seguiu pela linha de fundo. Mas, aos 41 minutos, não teve jeito. William brigou e deixou a bola para Iago. Ele saiu em velocidade e exigiu uma boa defesa do goleiro do Brasil-RS. Na sobra, Vinícius, que acabara de entrar, fez 1 a 0. Antes do apito final, deu tempo para Jeferson fazer um milagre na cabeçada à queima-roupa de Misael.

Na próxima rodada, a 24.ª, o Brasil-RS enfrenta o CRB no próximo dia 16, um sábado, às 16h30, no estádio Bento Freitas, em Pelotas. No mesmo dia e horário, o Náutico visita o Oeste na Arena Barueri, em Barueri, na Grande São Paulo.


FICHA TÉCNICA

NÁUTICO 1 x 0 BRASIL-RS

NÁUTICO - Jeferson; Joazi, Aislan, Feliphe Gabriel e Henrique Ávila; Amaral, Diego Miranda, Bruno Mota (William Schuster) e Giovanni (Iago); William Batoré e Gilmar (Vinícius). Técnico: Roberto Fernandes.

BRASIL-RS - Marcelo Pitol; Éder Sciola, Evaldo, Teco e Breno; Leandro Leite, João Afonso e Itaqui; Marcinho (Misael), Lincom (Calyson) e Juninho (Cassiano). Técnico: Clemer.

GOL - Vinícius, aos 41 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Bruno Mota, Joazi, Iago, Amaral e Aislan (Náutico); Evaldo, Teco e Lincon (Brasil-RS).

ÁRBITRO - Antonio Dib Moraes de Sousa (PI).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Pernambuco, no Recife (PE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.