Felipe Rau/ESTADÃO
Felipe Rau/ESTADÃO

Em jogo com intervenções do VAR, Palmeiras tropeça no Bahia e perde chance de colar no Santos

Dudu marcou duas vezes, mas o time alviverde segue sem vencer no retorno do Brasileirão após a Copa América

Dani Arruda, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2019 | 18h27

O Palmeiras empatou com o Bahia por 2 a 2, neste domingo, no Allianz Parque, pela 14ª do Campeonato Brasileiro. O resultado leva o time de Luiz Felipe Scolari para 29 pontos, na segunda posição, três pontos atrás do líder Santos. 

Dudu marcou os dois gols do Palmeiras, um em cada tempo. Gilberto fez os dois gols do Bahia, ambos de pênaltis na etapa final. O jogo teve a intervenção do VAR em quatro lances importantes: no primeiro gol do Palmeiras, para validar a posição de Dudu; na expulsão de Felipe Melo; e nos dois pênaltis a favor do Bahia. 

O Palmeiras segue sem vencer no Brasileirão após o retorno da Copa América: quatro empates (São Paulo, Vasco, Corinthians, Bahia) e uma derrota (Ceará). Com o resultado, o time baiano chega aos 20 pontos, por ora, na décima posição.

Foi a primeira vez que o técnico Roger Machado, atualmente no Bahia, voltou ao Allianz Parque, depois de ser demitido do Palmeiras em julho do ano passado. Ex-jogador de Felipão no Grêmio, nos anos 90, os dois treinadores trocaram um caloroso abraço antes do início da partida. 

A partida ainda marcou o retorno o zagueiro Vitor Hugo e a estreia do atacante Luiz Adriano. Ambos tiveram os nomes festejados pela torcida após o anúncio oficial no placar eletrônico. 

Na 15ª rodada, o Palmeiras enfrenta o Grêmio, sábado, na Arena gremista. Na terça-feira (20), os dois times se enfrentam novamente em Porto Alegre, desta vez pelo primeiro confronto das quartas de final da Copa Libertadores. No domingo, o Bahia recebe o Goiás, na Fonte Nova.

O JOGO

O Palmeiras dominou o primeiro tempo e teve as melhores chances. O time de Felipão mostrou intensidade, boa movimentação no setor ofensivo e criou várias oportunidades de gols. Só não deixou o intervalo em vantagem pela bela atuação do goleiro Douglas. 

O Bahia, por sua vez, mesmo atuando como visitante, surpreendeu e não ficou apenas fechado em seu campo defensivo. Saiu com força no contra-ataque e levou perigo. Em uma partida com as duas equipes buscando o ataque, o gol não demorou a sair e o Palmeiras abriu o placar logo aos 12 minutos. 

Scarpa cruzou da esquerda, Moisés desviou contra o próprio gol, Douglas ainda defendeu evitando o gol contra, mas no rebote, Dudu, livre de marcação, tocou para as redes. Foi o sétimo gol do atacante na temporada. 

O lance gerou polêmica, foi checado pelo VAR e validado após a consulta ao árbitro de vídeo. Dudu estava em posição de impedimento, mas como o último toque foi do jogador do Bahia, antes da defesa de Douglas, o impedimento do palmeirense foi anulado. 

O Bahia sentiu o gol por alguns minutos, recuou e permitiu a pressão do time palmeirense que quase chegou ao segundo gol com uma cabeçada de Felipe Melo.  Aos poucos, o time de Roger Machado foi se recuperando no jogo e esteve perto do empate aos 25 minutos. Gilberto entrou na área, driblou o goleiro Weverton e tocou para as redes, mas Luan fez o corte e evitou o empate baiano. 

O Palmeiras respondeu sete minutos depois com o estreante Luiz Adriano, que acertou um belo chute de fora da área e obrigou Douglas a fazer boa defesa no ângulo esquerdo. O goleiro do Bahia faria outra defesa importante antes do intervalo, depois da conclusão de Gustavo Scarpa. 

Já nos acréscimos da primeira etapa, o Palmeiras ficou com um jogador a menos em campo, depois que Felipe Melo foi expulso. Em uma jogada aérea, seu braço esquerdo acertou o rosto do atacante Lucca. O árbitro Igor Benevenuto de Oliveira entendeu como agressão e aplicou o cartão vermelho para o volante. 

O lance gerou muita reclamação dos jogadores do Palmeiras. No gramado, Igor Benevenuto fazia sinais de que o árbitro de vídeo confirmara a agressão e não voltou atrás na expulsão. 

No início da segunda etapa, e com um jogador a menos em campo, o Palmeiras levou o empate. Logo aos 2 minutos, a bola bateu no braço de Diego Barbosa dentro da área. O árbitro marcou pênalti e ratificou a marcação após consulta ao monitor na lateral do gramado. 

Na cobrança, Gilberto tocou no canto direito, Weverton caiu para o outro e o Bahia empatou o confronto. Mesmo sofrendo o gol e com dez em campo, o Palmeiras se lançou ao ataque e ficou em vantagem novamente no marcador. 

Aos 12 minutos, Marco Rocha cobrou lateral e encontrou Dudu dentro da pequena área, o atacante cabeceou, Douglas defendeu e, no rebote, o atacante empurrou para as redes, marcando seu quarto gol no Brasileirão. 

Após o segundo gol o jogo caiu. Com um jogador a menos e em vantagem no placar, o Palmeiras recuou e deu a bola para o Bahia, que não encontrou espaços para entrar na defesa palmeirense. 

No final do jogo, o VAR entrou em ação novamente e marcou outro pênalti a favor do Bahia, depois que Luan se chocou com Arthur Caíke dentro da área. Na cobrança, novamente Gilberto, desta vez ele acertou o canto esquerdo, Weverton caiu para o outro e deu números finais ao confronto. 

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 x 2 BAHIA 

GOLS: Dudu, aos 12 minutos do 1ºT; Gilberto, aos 7; Dudu, aos 12; Gilberto, aos 39 minutos do 2ºT. 

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique, Zé Rafael (Thiago Santos) e Gustavo Scarpa; Dudu e Luiz Adriano (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari 

BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba (Ezequiel), Lucas Fonseca, Wanderson e Moisés; Gregore, Flávio (Ramires) e Giovanni (Arthur Caíke); Élber, Gilberto e Lucca. Técnico: Roger Machado.

GOLS: Dudu, aos 12 minutos do primeiro tempo. Gilberto, aos sete, Dudu, aos 12, e Gilberto, aos 39 minutos do segundo tempo

ÁRBITRO: Igor Benevenuto de Oliveira (MG) 

CARTÕES AMARELOS: Marcos Rocha, Giovanni, Zé Rafael, Lucca, Gustavo Scarpa, Diogo Barbosa, Dudu, Wanderson, Thiago Santos. 

CARTÕES VERMELHOS: Felipe Melo e Gregore. 

PÚBLICO: 34.275 pagantes 

RENDA: R$ 2.160.817,20

LOCAL: Allianz Parque, em São Paulo (SP)

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.