Marco Bertorello/AFP
Marco Bertorello/AFP

Em jogo com polêmica, Milan bate Juventus, quebra tabu e encosta na ponta

Equipe de Milão não vencia rivais de Turim desde novembro de 2012

Estadão Conteúdo

22 Outubro 2016 | 19h36

A superioridade da Juventus no Campeonato Italiano foi posta à prova neste sábado e quem se saiu melhor foi o Milan. Jogando no San Siro, o time da casa venceu por 1 a 0 e reduziu a desvantagem na briga pela liderança do Campeonato Italiano, após nove rodadas.

Locatelli fez o gol da vitória da partida, que ficou marcada pelo recuo da arbitragem, que validou um tento dos visitantes, mas voltou atrás da decisão depois de muita reclamação dos atletas do Milan. A vitória também serviu para quebrar um tabu, pois os dos donos da casa não batiam a Juventus desde 25 de novembro de 2012. 

Com o resultado, o Milan foi a 19 pontos e baixou para dois a distância em relação à líder Juventus. A segunda posição só é ameaçada pela Roma, que soma 16 pontos e entra em campo no domingo contra o Palermo.

A partida começou com maior posse de bola para a Juventus, que comandava o meio de campo. Mas o Milan apostou nos contra-ataques e quase abriu o placar aos nove minutos, quando Niang cruzou da esquerda para Bacca, que ajeitou para Suso chutar colocado. Só que Buffon fez bela defesa. A resposta dos visitantes veio em uma jogada brasileira, cinco minutos mais tarde. Daniel Alves cruzou e Alex Sandro cabeceou, mas o goleiro Donnarumma ficou com a bola.

Com o decorrer da partida, o Milan conseguiu igualar o controle no meio de campo e as duas equipes passaram a apostar nas tentativas de longe. Aos 35, uma polêmica tomou conta do gramado. Pjanic cobrou falta com chute direto, Bonucci foi em direção à bola, mas não chegou a tocá-la, e a Juventus fez o gol.

Após muita reclamação por conta da validação do tento, a arbitragem voltou atrás e anulou a decisão, causando revolta no time visitante. Bonucci estava na mesma linha dos defensores do Milan, mas outro atleta da Juventus que não participou da jogada estava em posição de impedimento.

Na segunda etapa, a Juventus passou a investir nas jogadas pelo lado direito, com cruzamentos de Daniel Alves. No entanto, o Milan conseguiu anular a maioria das tentativas com a boa saída do gol do arqueiro Donnarumma. Os donos da casa tiveram poucas chances com finalizações sem perigo de Bacca.

O único gol da partida saiu aos 19 minutos do segundo tempo. Locatelli recebeu passe de Suso na entrada da área e soltou uma bomba no alto, sem chances de defesa para o goleiro Buffon. Foi um golaço do jovem de 18 anos.

A partida ganhou em emoção nos minutos finais e o árbitro deu cinco de acréscimos. A Juventus foi para cima e o Milan só ficou com a vitória graças a uma defesa espetacular de Donnarumma. Aos 50 minutos, no último lance do jogo, Higuaín tocou para Khedira, fora da área, e o meio-campista pegou bonito na bola, mas o goleiro apareceu bem para garantir o resultado.

O Milan sonha em assumir a liderança na próxima rodada, quando encara o Genoa fora de casa, na próxima terça-feira. No dia seguinte, a Juventus defende a primeira posição ao receber a Sampdoria em Turim.

SAMPDORIA BATE GENOA

Mais cedo neste sábado, a Sampdoria bateu o Genoa por 2 a 1, em casa, e se afastou da zona de rebaixamento do Italiano. Luis Muriel abriu o placar para os anfitriões e Luca Rigoni empatou. Fabio Quagliarella ainda perdeu um pênalti para os donos da casa, mas Armando Izzo apareceu para marcar contra e dar números finais ao placar.

Com o resultado, a Sampdoria foi à 12.ª posição, com 11 pontos, cinco a mais que o Palermo, primeiro time na zona de rebaixamento. Já o Genoa estacionou nos 12 pontos, no nono lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.