Divulgação
Divulgação

Flamengo e Ponte Preta empatam em 1 a 1 no Mané Garrincha

Menos de 13 mil pessoas comparecem para assistir à partida

Estadão Conteúdo

22 de novembro de 2015 | 20h20

Flamengo e Ponte Preta empataram por 1 a 1, neste domingo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado foi justo em um jogo que teve dois tempos distintos. O primeiro com o time paulista melhor, criando chances reais e não aproveitando. O segundo com o carioca, que foi mais dinâmico e eficiente.

Este foi o segundo empate seguido do time carioca, que tinha segurado o 0 a 0 com o Santos, na Vila Belmiro, no meio de semana. Com 49 pontos, é o 11.º colocado. A Ponte Preta vinha de duas derrotas seguidas por 1 a 0 - diante de Internacional, em Porto Alegre, e Figueirense, em Campinas - e agora soma 51 pontos, em nono lugar. O mando deste jogo era do Flamengo, que optou por levá-lo a Brasília na esperança de conseguir uma maior receita. Mas a presença de público foi decepcionante - menos de 13 mil torcedores.

Armada no esquema adotado nos últimos jogos com 4-3-2-1, a Ponte Preta ganhou o meio de campo e soube explorar bem a velocidade dos baixinhos Clayson e Biro Biro. Apesar do domínio, o time campineiro falhou nas finalizações ou esbarrou nas boas defesas do goleiro Paulo Victor. Aos três minutos, Cristian completou para as redes com o corpo, mas a arbitragem marcou o toque de mão. Após 13 minutos, Elton soltou a bomba, Paulo Victor rebateu e Clayson completou em diagonal para fora.

O Flamengo, muito lento, chegou com perigo ao 14 minutos, quando Guerrero, na marca do pênalti, soltou a bomba e o goleiro Marcelo Lomba defendeu com as mãos e a bola ainda tocou em seu rosto. A última chance real pontepretana saiu aos 25, quando Clayson chutou de esquerda e Paulo Victor defendeu de novo.

No intervalo, o técnico Oswaldo de Oliveira mexeu no time carioca. Colocou o lateral-direito Ayrton no lugar do improvisado Éverton, que atuou na esquerda. Pará foi deslocado para lá. E no meio de campo sacou Jonas para a entrada de Cantero. Além disso, adiantou a marcação e passou a pressionar o adversário.

O gol saiu aos 10 minutos. Em uma cobrança de falta rápida no meio de campo, a bola ficou para Guerrero, que lançou Gabriel em velocidade. Ele entrou na grande área, deu um corte no zagueiro Renato Chaves e bateu de curva de perna esquerda. A bola entrou no cantinho de Marcelo Lomba. No minuto seguido, Ayrton quase ampliou. Tentou bater por cobertura, mas mandou a bola para fora.

O técnico Felipe Moreira só tentou equilibrar as ações aos 19 minutos, com duas trocas. Saiu o jovem Clayson para a entrada de Keno no ataque e o meia Cristian para a colocação do atacante Diego Oliveira. Depois ainda tirou Alexandro para colocar o experiente Borges.

O Flamengo desperdiçou a chance de "matar o jogo" aos 23 minutos com Alan Patrick. Na marca do pênalti, sozinho, ele isolou a bola por cima do travessão, depois de uma disputa de bola entre Guerrero e Marcelo Lomba, pelo lado esquerdo da área. O atacante acertou a cabeça do atacante com uma joelhada, mas a arbitragem considerou o lance normal.

Mesmo sem jogar bem, a Ponte Preta empatou aos 31 minutos. Após escanteio de Biro Biro, a bola atrasou toda a pequena área e ninguém cortou. Diego Oliveira ajeitou e chutou no alto: 1 a 1.

O curioso é que Diego Oliveira foi improvisado no gol aos 40 minutos porque Marcelo Lomba caiu duas vezes e foi aconselhado a deixar o campo pelos médicos. O time paulista já tinha feito suas três substituições, portanto, terminou com um jogador a menos nos minutos finais. Aos 52, ele se tornou herói ao espalmar falta cobrada por Ayrton no ângulo.

Agora faltam mais duas rodadas. Na penúltima, o Flamengo vai enfrentar o Atlético Paranaense, no próximo domingo, às 19h30, em Curitiba. Depois vai fechar a temporada em casa, no próximo dia 6, contra o Flamengo, no Rio, no estádio do Maracanã. A Ponte Preta vai sair de novo, desta vez contra o Avaí, no próximo sábado, às 21 horas, em Florianópolis, para fechar a temporada diante de sua torcida contra o Sport, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1 x 1 PONTE PRETA

FLAMENGO - Paulo Victor; Pará, César Martins, Wallace e Éverton (Ayrton); Jonas (Canteros), Márcio Araújo, Alan Patrick e Gabriel; Emerson (Ederson) e Guerrero. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

PONTE PRETA - Marcelo Lomba; Rodinei, Renato Chaves, Ferron e Gilson; Fernando Bob, Elton e Cristian (Diego Oliveira); Clayson (Keno), Alexandro (Borges) e Biro Biro. Técnico: Felipe Moreira.

GOLS - Gabriel, aos 10, e Diego Oliveira, aos 31 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Jonas, Guerrero e Alan Patrick (Flamengo); Renato Chaves, Biro Biro e Borges (Ponte Preta).

ÁRBITRO - Dewson Fernandes Freitas da Silva (Fifa/PA).

RENDA - R$ 640.000,00.

PÚBLICO - 12.814 pagantes.

LOCAL - Estádio Mané Garrinha, em Brasília (DF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.