Em jogo fraco, Santos e Guarani ficam no 0 a 0

Em ritmo lento, Guarani e Santos ficaram no empate por 0 a 0, neste domingo, no Estádio Brinco de Ouro, na cidade de Campinas, em partida válida pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Assim, permanecem entre os dez primeiros colocados, mas afastados da luta pelo título.

TERCIO DAVID, Agência Estado

19 de setembro de 2010 | 18h29

Vindo de um período turbulento, com duas derrotas consecutivas, para Botafogo e Ceará, e o afastamento de Neymar após discussão com o técnico Dorival Júnior, o Santos encerrou a rodada com 35 pontos, nove atrás do líder Corinthians, na sexta colocação.

O Guarani, que vinha de três vitórias seguidas em casa, chegou a 30 pontos e perdeu a chance de se aproxima dos líderes e entrar de vez na briga por uma vaga na Libertadores.

Na próxima quarta-feira, o Santos enfrentará o rival Corinthians, na Vila Belmiro, às 22 horas. Mais cedo, às 19h30, o Guarani visita o São Paulo, no Estádio do Morumbi, em confrontos da 24.ª rodada do Brasileirão.

As duas equipes se equivaleram no primeiro tempo e ninguém conseguiu se impor. No entanto, o equilíbrio não resultou em muitas chances de gol, principalmente por que tanto Santos quanto Guarani tentaram muitas jogadas de infiltração e não conseguiam entrar na área adversária. O calor também se mostrou um duro rival para os dois times. "O jogo foi bom no primeiro tempo, mas o gramado não está muito bom e está muito quente e seco. Isto está prejudicando um pouco o espetáculo", sintetizou o santista Edu Dracena.

No Guarani, a ausência do veloz e habilidoso Mazola foi bastante sentida. Assim, o time se mostrou desorganizado quando buscou as jogadas de ataque. Neymar, que assistiu o jogo no estádio, Paulo Henrique Ganso e até mesmo Pará fizeram falta ao Santos, apesar do empenho de Marcel, Madson e Maranhão, que enfrentou o seu ex-clube.

Um pouco melhor que o adversário, o Santos perdeu a única grande chance de abrir o placar na primeira etapa aos 30 minutos. Após uma desatenção da zaga do Guarani, Madson avançou pelo meio e serviu a Zé Eduardo que, da entrada da área, tentou encobrir o goleiro Douglas, mas acabou errando o alvo por pouco.

Com a temperatura mais amena, o segundo tempo foi um pouco melhor. Novamente marcando muito de longe, o Guarani deixou o Santos trabalhar a bola no meio-de-campo com muita liberdade e, com isto, a equipe de Dorival Júnior teve maior posse de bola.

Apesar da liberdade para armar, o Santos pouco conseguiu finalizar e, nas vezes que conseguiu, parou em Douglas. Aos 26 minutos, Alan Patrick arriscou de fora da área e exigiu espetacular defesa do goleiro, que evitou que a bola entrasse no ângulo.

No final do jogo, com melhores condições físicas, o Guarani foi quem passou a pressionar e acuou o Santos em seu campo de defesa. Mas, apesar da luta, o time campineiro falhou nas finalizações e não conseguiu conquistar a quarta vitória seguida em casa.

Ficha Técnica:

Guarani 0 x 0 Santos

Guarani - Douglas; Apodi, Fabão, Aílson e Márcio Careca; Renan, Paulo Roberto, Baiano (Fabiano) e Mário Lúcio (Reinaldo); Geovane (Rodrigo Heffner) e Ricardo Xavier. Técnico: Vagner Mancini.

Santos - Rafael; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Danilo, Alex Sandro e Marquinhos (Alan Patrick); Zé Eduardo (Tiago Luís) e Madson (Marcel). Técnico: Dorival Júnior.

Cartões amarelos - Renan, Reinaldo, Fabão (Guarani); Edu Dracena, Tiago Luís, Léo (Santos).

Árbitro - Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Renda - R$ 240.725,00

Público - 10.998 torcedores

Local - Estádio Brinco de Ouro, em Campinas (SP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.