Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Em jogo fraco tecnicamente, Santos derrota sem esforço o lanterna Avaí

Eduardo Sasha e Marinho anotaram os gols da equipe alvinegra, enquanto João Paulo descontou

Redação, Estadão Conteúdo

06 de novembro de 2019 | 23h28

Desinteressado, desorganizado e desatento, o Santos fez uma de suas piores apresentações no Campeonato Brasileiro, mas mesmo assim não teve grandes dificuldades para vencer o lanterna e virtual rebaixado Avaí, nesta quarta-feira à noite, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela 31ª rodada.

O resultado foi importante para o time da Vila Belmiro, que chegou aos 61 pontos, manteve o terceiro lugar e deu um grande passo na busca pela vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores de 2020. O Avaí, que não vence um jogo há 11 rodadas, continua com 17 pontos na última colocação e dificilmente vai sair da zona da degola.

Mesmo sem imprimir grande pressão, o Santos não demorou para abrir o placar. Aos oito minutos, Sánchez cobrou escanteio rasteiro pela esquerda. Felipe Jonatan deixou a bola passar, e Marinho bateu, mas a bola resvalou na zaga e sobrou para Sasha marcar seu 12º gol no campeonato.

A vantagem desanimou o Santos, que deixou a marcação frouxa, foi desatento nos passes e apresentou lentidão na recomposição do setor defensivo. O Avaí aproveitou para ir ao ataque, mas em uma jogada individual de Marinho surgiu o segundo gol santista.

O atacante pegou a bola na ponta-direita, cortou para dentro e bateu de pé esquerdo: 2 a 0, aos 23 minutos. A partir daí, o Santos parou em campo. O técnico Evando Camillato trocou o zagueiro Zé Marcos pelo meia João Paulo e o time catarinense, mesmo sem criatividade, passou a ocupar o campo adversário.

A mudança deu sorte. Aos 34, João Paulo acertou um lindo chute e mandou a bola no ângulo superior direito de Everson, que pulou, mas não alcançou a bola. O gol animou o Avaí que quase empatou com Jonathan, mas desta vez o goleiro santista defendeu. Everton também interceptou uma tentativa de muito longe de Richard Franco.

O segundo tempo começou sem futebol, com algumas faltas mais ríspidas e muita reclamação dos jogadores das duas equipes com o juiz Marcelo de Lima Henrique.

O primeiro lance de perigo ocorreu só aos 16 minutos. Lançado desde seu campo, Jonathan ganhou de Gustavo Henrique e acabou derrubado pelo zagueiro, que levou o cartão vermelho. Ele já havia levado cartão amarelo no primeiro tempo em uma falta boba no campo de ataque.

Com a ausência do Santos em campo, o Avaí se deu o direito de atacar. Chegou a entrar na área santista, mas demonstrou falta de poder de fogo. Aos 39, Léo também foi expulso por uma falta em Marinho e o Avaí deixou de aproveitar o fato de ter um jogador a mais durante 23 minutos.

O Santos só foi incomodar o goleiro Lucas Frigeri aos 42 minutos, com um chute tímido de Marinho. O Avaí não conseguiu nenhum ataque.


FICHA TÉCNICA:

AVAÍ 1 x 2 SANTOS

AVAÍ - Lucas Frigeri; Kunde, Zé Marcos (João Paulo) e Betão; Léo, Luanderson (Gegê), Pedro Castro, Richard Franco e Julinho (Vinícius Araújo); Igor Fernandes e Jonathan. Técnico: Evando Camillato.

SANTOS - Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Derlis González), Felipe Jonatan (Alison) e Marinho; Eduardo Sasha e Soteldo (Luiz Felipe). Técnico: Jorge Sampaoli.

GOLS - Sasha, aos oito, Marinho, aos 23, e João Paulo, aos 34 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (RJ).

CARTÕES AMARELOS - Luanderson, Richard Franco, Luiz Felipe, Igor Fernandes e Gegê.

CARTÕES VERMELHOS - Gustavo Henrique e Léo.

RENDA E PÚBLICO - Não divulgados.

LOCAL - Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.